Os jogadores do Brasil comentaram sobre o empate por 1 a 1 com a Suíça neste domingo e um dos assuntos foi a arbitragem. Ao menos para os jornalistas. Muitos comentários trataram do assunto, que foi amplamente analisado por comentaristas especializados. Os jogadores falaram depois do jogo sobre a atuação, o resultado e, claro, sobre o lance do gol da Suíça, reclamado como falta. Ninguém atribuiu o empate à arbitragem, ainda que tenham feito questão de criticar. Na saída de campo e na zona mista, todos reclamaram, mas sem atribuir a culpa pelo tropeço apenas a isso. As respostas passaram por problemas do time, em geral.

LEIA TAMBÉM:
– A preparação acabou e a Copa começou: Brasil teve problemas e precisa lidar com eles
– Coutinho ofereceu um lampejo de espetáculo, mas que perde brilho pela decepção

“A jogada no Miranda… não vou ficar falando sobre o juiz, mas a jogada no Miranda, ele [o árbitro] falou que estavam checando lá, apareceu no telão o empurrão. Ele não quis olhar para o telão. Não é desculpa, acontece. Se estão checando para ele, deveria ter visto no telão, mas não é desculpa pelo empate”, disse Marcelo, capitão do time neste jogo contra a Suíça.

O jogador que estava no lance, Miranda, reclamou de falta, mas também não deu peso demais a isso. “É um empate, mas apenas o começo. A gente sabia que não ia ser fácil. Aquela jogada [do gol da Suíça], se tivesse me jogado, poderia assinalar mais o empurrão. Mas tem o árbitro de vídeo, eles viram, acharam que não foi para tanto. Vida que segue, vamos pensar jogo a jogo. No próximo, fazer os três pontos”, disse o zagueiro brasileiro.

“Tentamos colocar nossa ritmo, mas infelizmente erramos muitos passes, muitos fáceis. O adversário cresceu um pouco porque tem qualidade. Copa do Mundo não tem jogo fácil, mas estamos centrados no nosso objetivo e nós vamos buscar os três pontos no próximo jogo”, continuou Miranda.

Tite falou sobre o lance na sua coletiva de imprensa. “Miranda me disse que talvez deveria ter caído após o empurrão para deixar a falta mais clara. Eu disse para ele: ‘Não, aí caracterizaria simulação e eu não quero isso'”, disse o treinador. “Gostaria de estar respondendo outra pergunta de performance e desempenho. Até porque pode parecer desculpa pelo empate. Não tem que pressionar a arbitragem na hora. Tem gente para avaliar, não podemos ter uma equipe desequilibrada. O lance do Miranda foi muito claro. E não estou justificando o resultado. Muito claro. O lance do pênalti é passivo de interpretação. Mas o primeiro, não. Não dá para conceber alto nível dessa forma”.

Thiago Silva, zagueiro do Brasil, questionou a ausência da consulta direta ao vídeo. “Não gosto de ficar comentando muito, mas sair de um jogo de Copa, com VAR, e o juiz que está no campo não ser ajudado é frustrante. Mas o lado positivo é que nossa equipe cresceu muito de produção no fim do segundo tempo”, afirmou o jogador. “O Marcelo estava mais próximo, mostrou que estava passando e que normalmente as situações que passam no telão precisam ser confirmadas. Ele não deu falta e a situação passou no telão. O Marcelo falou: ‘Olha para o telão!’ e ele olhava só para baixo. Não queria ver o erro. Quando tem árbitro de vídeo, fica mais frustrante do que o normal”.

“Acho que, depois do primeiro gol, deixamos um pouco a desejar. Aí é que temos de nos cobrar, continuar jogando. Não que gostaríamos de tirar o pé, mas foi inevitável pelo calor. Tentar segurar a vontade até o intervalo. Fomos felizes até aí, mas logo no início do segundo tempo, quando teríamos de ter mais cuidado, sofremos o gol. Criamos algumas oportunidades, mas não foi possível”, disse Thiago. “Foi um papo muito tranquilo. O Tite é sempre muito aberto conosco. Disse que pudéssemos deixar para ele comentar, porque não podemos mudar nosso foco. Nosso foco é o segundo jogo. Jogar bem e vencer, se possível. Coisa de arbitragem acontece, mas ficamos frustrados. Ele pediu para que não comentássemos tanto”, explicou o zagueiro.

Vladimir Petkovic, técnico da Suíça, discordou dos brasileiros em relação à falta e também reconheceu que o Brasil foi superior no jogo. ”Creio que o adversário esteve melhor, criou mais chances de gol. Mas estou muito orgulhoso da forma como a minha equipe se apresentou. Não desistiram e lutaram os 90 minutos. Quando conseguimos avançar um pouco mais, fomos bem. Foi um início bom nessa fase de grupos”, afirmou Petkovic. “Temos o VAR, e o VAR deve oferecer as respostas. Eu vi nosso gol, dei uma olhada [no lance], e foi normal. Um gol em que você tenta criar espaços para procurar oportunidade. A defesa dos adversários não estava bem posicionada. Não vi falta”, disse o treinador.


Os comentários estão desativados.