O Newcastle não está em um bom momento, mas foi um clube importante na primeira década da Premier League, com campanhas impulsionadas por grandes camisas 9. O número foi usado por nomes como Andy Cole, Les Ferdinand e Alan Shearer, além de ídolos do passado como Malcolm MacDonald. O peso dessa história não intimidou o novo reforço mais caro da história do clube. Ao contrário, incentivou o brasileiro Joelinton a carregá-la nas costas pelos próximos seis anos.

O novo técnico dos Magpies, Steve Bruce, foi quem contou: “Ele conheceu a história (da camisa 9) e a quis, e sempre seria uma camisa pesada para usar. Mas, em seus olhos, foi ‘vamos nessa, é para isso que estou aqui’. Ele encarou o desafio e tenho certeza que será um dos jogadores favoritos da torcida. Ele trabalha muito, é humilde e tem todos os atributos que um grande atacante precisa”.

O ex-jogador do Sport, de 22 anos, foi anunciado nesta terça-feira, pelo Newcastle. O clube limitou-se a dizer que a taxa de transferência foi em um valor recorde, sem especificá-la. A imprensa inglesa calcula £ 40 milhões, mais do que o suficiente para superar os £ 20 milhões pagos por Miguel Almirón, no último mês de janeiro.

Na época, o Newcastle não confirmou Almirón como sua contratação recorde porque, pela estrutura do negócio, o valor final ainda era indefinido. Desta vez, fizeram questão de destacar o fato em seu site oficial, dando a Joelinton outra oportunidade de mostrar que tem personalidade. “Eu sei que foi um alto investimento que o time fez em mim e isso vem com muita responsabilidade”, afirmou.

Um dos pontos de fricção entre o ex-treinador Rafa Benítez e o dono do Newcastle, Mike Ashley, foi Salomón Rondón. O espanhol queria a contratação em definitivo do venezuelano que passou a última temporada em St. James Park emprestado pelo West Brom, sendo essencial na Premier League, mas Ashley recusa-se a fazer altos investimento por jogadores mais velhos que dificilmente gerarão retornos financeiros.

Ao contrário de Rondón, 29 anos, tão apreciado por Benítez que foi junto com ele para a China, Joelinton tem apenas 22 anos, com tempo pela frente suficiente para crescer e gerar lucro ao Newcastle – a única coisa com a qual Ashley realmente se importa. Enquanto isso, terá a responsabilidade de liderar a linha ofensiva do Newcastle, como fez seu sucessor.

Porque Steve Bruce não tem características muito diferentes às do time que Benítez montou para o Newcastle. A principal responsabilidade será defensiva e, para isso, é necessário um atacante que prenda a bola à frente, faça o pivô e resolva algumas jogadas sozinho. Joelinton tem menos força física do que Rondón, mas altura parecida e mais versatilidade. Pelo Hoffenheim, atuou em todas as posições do ataque na última temporada.

Acontece que a sua produção foi menor, com sete gols em 28 rodadas da Bundesliga versus 11 em 32 partidas da Premier League. Em números frios, não há muita diferença, mas o Newcastle foi um time menos propenso ao ataque do que o Hoffenheim, com 42 gols pela liga inglesa contra 70 do time de Julian Nagelsmann na alemã, em quatro partidas a menos.

Isso indica que o aproveitamento de Rondón foi melhor. A proporção certamente foi: o venezuelano fez 26% dos gols do Newcastle na Premier League, enquanto Joelinton ficou responsável por apenas 10% dos tentos do Hoffenheim. Os 11 gols do sul-americano foram superados apenas pelos 12 de Ayoze Pérez no elenco inglês. Joelinton foi o terceiro maior artilheiro do Hoffenheim na Bundesliga, bem atrás de Ishak Belfodil (16) e Andrej Kramaric (17).

Esse, porém, é apenas um aspecto do que o brasileiro pode contribuir ao Newcastle. Por todas as competições, Joelinton fez mais quatro gols, inclusive sobre o Lyon, pela Champions League, e é jovem o bastante para desenvolver a sua finalização.

O que Joelinton, bom reforço, não conseguirá fazer é aplacar a ira dos torcedores do Newcastle, insatisfeitos pela saída de Benítez e pela contratação pouco imaginativa de Steve Bruce para o seu lugar. Nem o valor pago é muito indício de que Ashley está finalmente pronto para abrir os bolsos porque parte das £ 40 milhões estão apenas sendo repassadas ao Hoffenheim das £ 30 milhões que o Leicester pagou por Pérez.