Qualquer lista com os maiores ídolos da história do Betis precisa incluir Joaquín entre os primeiros colocados. Prata da casa, o atacante tornou-se jogador de seleção com a camisa verdiblanca e ajudou o clube a encerrar um jejum de 28 anos sem títulos de elite, ao conquistar a Copa do Rei em 2005. Já em 2015, após se aventurar em outros times ao longo de quase uma década, o veterano regressou para alimentar mais sonhos no Estádio Benito Villamarín. E, mesmo aos 38 anos, Joaquín representa muito à equipe atual. Tanto é que o anúncio da sua renovação de contrato transformou-se em grande evento aos beticos.

Joaquín confirmou que seguirá defendendo o Betis até junho de 2021. Ampliou o seu vínculo por mais uma temporada, quando estará prestes a completar 40 anos. E os verdiblancos celebraram a permanência com pompas. O ídolo participou de um evento no Estádio Benito Villamarín, que parecia armado para apresentar um reforço estelar. Centenas de torcedores estiveram nas arquibancadas e até mesmo um palco foi armado no gramado. Algumas lágrimas escaparam no rosto do veterano, diante de tamanha homenagem.

“Passei a manhã toda tentando não chorar, controlando a respiração. Você não se acostuma com isso. Devo tudo a essas cores e à minha família que é o Betis. Sempre me senti especial e não mereço tanto carinho. Tento ser mais um, tanto dentro como fora de campo. Tento ser o primeiro a trabalhar, a ajudar os companheiros. Tento desfrutar o dia a dia, porque sei que aos 38 anos cada vez me sobra menos tempo. Não quero ampliar minha carreira além da conta, mas é difícil encontrar o momento para dizer que pararei, porque me encontro bem e estou competindo. Como sigo aproveitando, eu me digo que restam mais alguns anos”, declarou.

Joaquín surgiu no Betis quando a equipe militava na segunda divisão, em 2000/01. Além de ajudar no acesso, logo se alçou à seleção e disputou a Copa do Mundo de 2002. Sua primeira passagem pelo clube durou até 2006, quando se transferiu ao Valencia. Já o retorno, em 2015, ainda viu o velho ídolo produzindo em alto nível. Na atual temporada, Joaquín soma seis gols e uma assistência em 17 jogos por La Liga. Com 358 partidas, está a 20 aparições de se igualar a José Ramón Esnaola como o jogador que mais defendeu o clube pelo Campeonato Espanhol. A renovação deve garantir o recorde isolado ao atacante e mais homenagens.