A maior contratação da história do Atlético de Madrid foi apresentada nesta segunda-feira. João Félix, 19 anos e custo de € 126 milhões, recebeu a camisa 7 do presidente dos rojiblancos, Enrique Cerezo, e Miguel Ángel Gil, conselheiro do clube. Tido como o grande talento do futebol português, o atacante chega com muita pompa e expectativa. Na sua primeira temporada como jogador do time principal do Benfica, foram 43 jogos e 20 gols e 11 assistências.

“A palavra que melhor define João é talento. Aos 19 anos tem adiante uma grande carreira e estamos orgulhosos que escolheu as cores branca e vermelha diante de outras propostas que chegaram de várias das melhores equipes do mundo. Seu desenvolvimento não tem limites e estamos certos que nossa comissão técnica potencializará todas as virtudes para ajudar o coletivo. Esforço, trabalho e sacrifício”, afirmou o presidente Enrique Cerezo.

“Esse é o caminho, João. Você tem tudo para triunfar e sabemos que a camisa rojiblanca com o número 7 que hoje vamos te entregar é a camiseta do compromisso. Tem o nosso apoio e vai contar com a melhor torcida do mundo: a do Atlético de Madrid, que desde o primeiro treinamento já está cuidando e dando o carinho que merece”, continuou o dirigente do Atlético de Madrid.

“Estou muito contente por estar aqui e ser parte deste projeto e da história desde clube. Meus companheiros me receberam todos muito bem e estou aqui para ajudar o clube em tudo que possa. Eu estou aqui para fazer a minha história”, afirmou João Félix. “Estou aqui para fazer história por este clube”.

Perguntado sobre o valor pago por ele, € 126 milhões, o português desconversou. “São temas de mercado e não sei nada sobre isso. Não presto muita atenção ao tema valores. Me limito a jogar e fazer o meu trabalho para ajudar o clube em que estou”, afirmou o jogador.

Um dos jogos da pré-temporada, pela International Champions Cup, será o clássico contra o Real Madrid. “Jogar contra o Real Madrid é sempre um grande clube. Como estou no Atlético será uma partida especial porque é um rival direto. É uma competição muito boa que nos serve para nos preparar para o campeonato”, disse João Félix.

Cria da base do Benfica, o jogador foi perguntado se gostaria de enfrentar o Benfica na fase de grupos da Champions League. “Eu gostaria sempre que passemos os dois. Queria receber o carinho das pessoas e me reencontrar com meus companheiros ali, que sempre se portaram bem comigo”, respondeu o atacante.

Ele falou também sobre a sua despedida do Benfica. “Foi muito especial para mim, o mister [técnico] foi chave e quem mais confio em mim e devo realizar um reconhecimento especial por isso para que eu possa estar aqui hoje. Foi uma despedida difícil, os levarei sempre no meu coração, não é fácil sair de Portugal, mas todos me desejaram muita sorte e serão parte da minha torcida e da sua”, contou o novo jogador do Atlético de Madrid.

Perguntaram se falaram com Cristiano Ronaldo sobre a transferência. “É um grande jogador, atualmente é o melhor do mundo e talvez de todos os tempos. Na seleção ele me falava de Madri, eu gostava muito da cidade e estou aqui para fazer a minha história e ser lembrado como João Félix. Cristiano é Cristiano e eu sou João Félix”, continuou.

O português foi então perguntado se a saída de Antoine Griezmann colocava mais pressão sobre ele. “Me desconecto da pressão. Às vezes escutamos coisas boas e ruins. Me limito a fazer o meu trabalho e dar o meu melhor para ajudar a equipe”, respondeu o jogador.

Analisamos a contratação de João Félix pelo Atlético de Madrid no nosso canal do Youtube. Aproveite para se inscrever e receber notificação de todos os novos vídeos.