A Argentina conseguiu o seu primeiro ponto em Copas do Mundo contra uma seleção que já levantou a taça. Na estreia da Copa do Mundo Feminina, em Paris, a Argentina ficou no 0 a 0 com o Japão, uma seleção cotada como uma das melhores do mundo. Até aqui, a Argentina tinha participado de duas Copas do Mundo, 2003 e 2007, e tinha perdido os seis jogos disputados. Desta vez, arranca um ponto que será precioso na busca por classificação. Afinal, dois times por grupo se classificam, além de quatro melhores terceiros colocados.

Força física x técnica

O jogo no primeiro tempo ficou marcado por um duelo entre a força física das argentinas contra a técnica das japonesas, que ficavam mais com a bola, mas sem criar nenhuma chance de gol. O time asiático tinha domínio da bola, mas as trocas de passes não conseguiam passar da intermediária ofensiva.

A Argentina se defendia com praticamente todas as jogadoras, eventualmente até a centroavante Sole Jaimes atrás da linha da bola, com a ideia de sair em velocidade pelos lados com Banini e Bonsegundo, mas não conseguiu encaixar nenhum contra-ataque no primeiro tempo.

Posse de bola inofensiva

Durante todo o jogo, o Japão controlou totalmente a posse de bola. Ficava a maior parte do tempo tocando, de um lado para outro, buscando um espaço que nunca apareceu. Faltava ao Japão a capacidade de realmente criar chances, mesmo em chutes de fora da área – algo que o time só tentou no segundo tempo, em um chute de Hasegawa que a goleira Correa defendeu. No rebote, Sugasawa mandou para fora, com pouco ângulo.

Primeiro ponto da história

Seis jogos, seis derrotas. Estrear em 2018 contra o Japão era um cenário difícil para as Argentinas, fora das Copas do Mundo desde 2007. Foram duas participações em Copas das sete que já aconteceram. E sempre sem sucesso: todos os seis jogos tinham acabado em derrotas das albicelestes.

Classificar para a Copa foi uma missão dura: o time ficou em terceiro na Copa América 2018, classificatória ao Mundial, e teve que jogar a repescagem contra o Panamá. Venceu por 5 a 1 no placar agregado e avançou, acabando com o jejum de participações em Copas.

E logo na estreia, diante do Japão, um dos times mais fortes do grupo, arranca um empate. Sonha com uma classificação como uma das melhores terceiras colocadas. Parecia difícil – afinal, os outros times do grupo são Escócia e Inglaterra. Depois de empatar com a Japão, campeã de 2011, quem duvida das bravas argentinas?

Ficha técnica

Argentina 0x0 Japão

Local: Parque dos Príncipes, em Paris
Árbitra: Stephanie Frappart (França)
Gols: nenhum
Cartões amarelos: Sugita, Shimizu, Iwabuchi (Japão)
Cartões vermelhos:
nenhum

Argentina: Vanina Correa; Virginia Gomez, Agustina Barroso, Aldana Cometti e Eliana Stabile; Estefania Banini, Ruth Bravo (Vanesa Santana), Lorena Benítez (Mariela Coronel), Miriam Mayorga e Florencia Bonsegundo (Mariana Larroquette); Sole Jaimes. Técnico: Carlos Borrello

Japão: Ayaka Yamashita; Risa Shimizu, Saki Kumagai, Moeka Minami e Aya Sameshima; Emi Nakajima (Jun Endo), Hina Sugita, Narumi Miura e Yui Hasegawa; Yuika Sugasawa (Saori Takarada) e Kumi Yokoyama (Mana Iwabuchi). Técnica: Asako Takakura