O Japão fez o seu melhor jogo na Copa do Mundo e, apesar do grande desempenho, foi eliminado de forma dramática com um gol de pênalti aos 45 minutos do segundo tempo diante da Holanda de Lieke Martens. Com uma atuação pressionando muito as holandesas por todo o segundo tempo, parecia que um gol das asiáticas seria iminente. Apesar disso, a Holanda, com uma boa atuação da sua goleira e com chegadas esporádicas ao ataque, que levavam perigo. Assim, cai mais um time não europeu em uma Copa dominada pelo futebol da Europa.

Martens decisiva

A Copa do Mundo de Martens até aqui não era o que se esperava. Melhor do mundo em 2017, a atacante não vinha conseguindo ser a jogadora que encantou o mundo na conquista da Eurocopa em 2017, pela Holanda. Mas o talento estava ali. E neste jogo, especificamente, foi decisiva para classificar o time. O primeiro, aos 16 minutos do primeiro tempo, nasceu de uma cobrança de escanteio de Sherida Spitse, Martens tocou bonito, de letra, tirou da goleira. Espetacular.

Depois, no final, ficou nas costas da atacante decidir o jogo. Com um pênalti marcado aos 44 minutos do segundo tempo, a responsabilidade ficou nela. A camisa 11 poderia classificar a Holanda com o gol, já que faltavam poucos minutos de acréscimos para o fim da partida. Ela cobrou com calma e categoria para marcar 2 a 1 e garantir a vitória.

Japão pressionando

Depois de sofrer o gol, o Japão, com o seu estilo de passes rápidos e muita técnica, foi se aproximando do gol. Colocou uma bola na trave com Sugasawa, depois de uma linda troca de passes japonesa até a sua camisa 9, que finalizou no canto baixo da goleira e a bola beliscou a trave antes de sair.

Aos 43 minutos, Mana Iwabuchi recebeu pelo meio e com uma excelente visão de jogo, deixou Yui Hasegawa na cara do gol. Ela tocou no alto, no ângulo, longe da ótima goleira Sari van Veenendaal: 1 a 1 no placar.

Se no primeiro tempo o jogo tinha sido equilibrado e o Japão acabou melhor, no segundo foi uma pressão absurda das japonesas. Só na etapa final foram 10 chutes a gol das japonesas, que erravam na finalização. Chegou a acertar a trave aos 33 minutos, quando Hina Sugita recebeu pela direita, cortou para o meio e, de pé esquerdo, finalizou forte.

Logo depois, Yuka Momiki recebeu uma bola na área e, também de pé esquerdo, chutou alto e a goleira Sari van Veenendaal defendeu. A dúvida parecia ser se a Holanda aguentaria até o fim do jogo sem sofrer o gol.

Pênalti no final

O jogo se encaminhava para a prorrogação, mas aos 42 minutos do segundo tempo, em um chute da atacante Vivianne Miedema, a bola tocou o braço da zagueira Saki Kumagai, capitã do time. Ela estava com os braços abertos para tentar bloquear o chute. A árbitra marcou o pênalti, para desespero das japonesas. Na cobrança, Martens teve categoria para dar a vitória à Holanda.

Choro após apito final

Campeã em 2011 e finalista em 2015, o Japão era um dos times mais fortes do torneio, mas acaba eliminado de forma precoce. Em 2015, as japonesas eliminaram as holandesas. Desta vez, foi o contrário. E as japonesas choraram em campo a derrota, doída, com um gol tão no final em uma partida que jogaram tão bem, criando chances, tocando de pé em pé.

Duelo marcado

A Holanda terá a Itália pela frente nas quartas de final. O jogo será no próximo sábado, às 10h, horário de Brasília. Quem vencer irá enfrentar na semifinal a vencedora do duelo Alemanha x Suécia, que acontece no mesmo dia.

Ficha técnica

Holanda 2×1 Japão

Local: Roazhon Park, em Rennes
Árbitro: Melissa Borjan (Honduras)
Gols: Lieke Martens aos 17’/1T, Lieke Martens aos 45’/2T (Holanda), Yui Hasegawa aos 43’/1T (Japão)
Cartões amarelos: Saki Kumagai (Japão)

Holanda: Sari van Veenedaal; Desiree Van Lunteren, Stefanie Van der Gragt, Dominique Bloodworth e Merel van Dongen (Kika van Es); Jackie Groenen, Danielle van de Donk (Jill Roord) e Sherida Spitse; Shanice Van de Sanden (Lineth Beerensteyn), Vivianne  Miedema e Lieke Martens. Técnica: Sarina Weigman

Japão: Ayaka Yamashita; Risa Shimizu, Saki Kumagai, Nana Ichise e Aya Sameshima; Emi Nakakima (Yuka Momiki), Narumi Miura, Hina Sugita e Yui Hasagawa; Yuika Sugasawa e Mana Iwabuchi (Saori Takarada). Técnica: Asako Sameshima. Técnica: Asako Takakura