Pela quinta vez nas últimas oito edições da Copa da Ásia, o Japão está na final. Nesta segunda-feira, a seleção japonesa venceu o Irã, que vinha sendo um dos times mais fortes da competição continental, por 3 a 0, e aguarda o vencedor do outro duelo semifinal, entre Emirados Árabes e Catar, para descobrir qual será o último obstáculo para o pentacampeonato asiático.

LEIA MAIS: O Irã segue atropelando na Copa da Ásia e garante um jogaço contra o Japão nas semifinais

Placar tão amplo foi uma surpresa. O Irã de Carlos Queiroz é notório pela boa defesa e, nas cinco partidas anteriores na Copa da Ásia, com quatro vitórias e um empate, os persas ainda não haviam sido vazados. O Japão chegou à semifinal com 100% de aproveitamento, mas todos os triunfos foram por apenas um tento de diferença.

E foram os japoneses quem começaram criando mais oportunidades. Takumi Minamino foi travado na hora certa, Maya Yoshida cabeceou para fora e Ritsu Doan, da entrada da área, desferiu um chute rasteiro, próximo à trave. A grande defesa da etapa inicial, porém, foi de Shuichi Gonda. Uma boa troca de passes deixou Sardar Azmoun com a bola pela esquerda da grande área. Ele passou pela marcação e bateu colocado. Gonda desviou com as pernas.

Uma pane coletiva contribuiu para o Japão abrir o placar, no começo do segundo tempo. Após uma colisão entre Hossein Kanani e Minamino na entrada da área, os iranianos pararam para reclamar com a arbitragem, talvez antecipando a falta. No entanto, o apitador não assinalou uma infração, e o momento de distração da defesa permitiu que Minamino recolhesse a bola pela ponta esquerda. O cruzamento buscou a cabeça de Yuya Osako. Alireza Beiranvand saiu mal do gol, e o Japão fez 1 a 0.

O Irã quase empatou de falta, mas Gonda fez uma ótima defesa para negar o gol a Alizera Jahanbakhsh. Osako, que não era titular desde a primeira rodada por causa de uma lesão no quadril, ampliou, de pênalti, para 2 a 0. Lance polêmico: Minamino cruzou rasteiro para trás, e a bola bateu no braço de Pouraliganji, que tentava o bloqueio de carrinho. Haraguchi, nos acréscimos, saiu na cara do goleiro e fechou o placar.

Técnico do Irã desde 2011, Carlos Queiroz confirmou que esta foi sua última partida à frente dos persas. Depois de duas participações seguidas na Copa do Mundo, o veterano de 65 anos deve se tornar o próximo treinador da Colômbia. Enquanto isso, o Japão aguarda o adversário da decisão. Nas outras quatro vezes em que chegou a ele, ficou com o título.