Era esperado, por declarações e informações de bastidores, o anúncio realizado pelo Bayern de Munique nesta quarta-feira: a pedido do jogador, o clube bávaro decidiu não exercer a opção de compra de € 42 milhões para contratar James Rodríguez em definitivo do Real Madrid. Com Zidane de volta ao banco merengue, a dúvida é onde o colombiano jogará agora.

O próprio Zidane, ano passado, quando o Real Madrid enfrentou o Bayern pelas semifinais da Champions League, afirmou que James saiu do Santiago Bernabéu em busca de mais tempo de jogo, negando que tenha tido problemas com o jogador. Na mesma época, o colombiano também falou que “não tem nada contra Zidane”.

O colombiano, de fato, perdeu espaço no Real Madrid com a chegada de Zidane, pelo menos em comparação com os antecessores do francês. James atuou 3.526 minutos com Carlo Ancelotti, em uma temporada; 717 com Rafa Benítez em meia campanha, atrapalhado por uma lesão que o afastou de aproximadamente 60 dias; e 2.966 minutos com Zidane, em 18 meses. Números do Transfermarkt.

Com outro treinador, James talvez ganhasse outra oportunidade no Real Madrid, mas Zidane já o conhece o bastante para saber o quanto ele se encaixa no seu planejamento. Antes da recontratação do francês, falava-se na imprensa espanhola sobre um possível retorno do talentoso meia de 27 anos, mas agora é quase consenso que ele será repassado a outro clube assim que desembarcar no Aeroporto de Barajas.

Para onde? Fala-se na Itália. A Juventus ou um possível reencontro com Ancelotti no Napoli. Com a seleção colombiana para a Copa América, foi questionado se prefere Turim ou Nápoles e respondeu: “Medellín. Estou calmo, pensando apenas no time nacional. Vamos ver o que acontece”.

James teve bons momentos no Bayern de Munique, especialmente na primeira temporada, com Ancelotti e Jupp Heynckes, quando atuou 2.643 minutos, mas nunca se firmou de verdade como titular. Com Niko Kovac, não houve a mesma harmonia e ele jogou bem menos (1.654). “Eu gostaria de agradecer muito o clube e todos os torcedores que sempre nos apoiaram. Eu tive dois anos inesquecíveis em Munique e sempre me senti em casa aqui. Guardarei lindas memórias e desejo ao Bayern o melhor no futuro”, afirmou. Em 43 jogos, ele marcou 14 gols e deu 15 assistências.