Após uma primeira temporada de destaque pelo Real Madrid, James Rodríguez tem enfrentado grandes dificuldades em seu segundo ano na capital espanhola. Consequentemente, tem sido alvo de constantes vaias da exigente torcida madridista. Seu desempenho pela seleção colombiana, entretanto, mostra que o futebol decepcionante em 2015/16 pelo Real acontece muito por causa de circunstâncias e que sua capacidade de ser protagonista segue bem preservada. Nesta quinta-feira, por exemplo, o camisa 10 conduziu a Colômbia à vitória por 3 a 2 sobre a Bolívia, em La Paz.

VEJA TAMBÉM: O dia em que Cruyff foi anunciado como reforço do Leicester

James participou de todos os gols dos Cafeteros no triunfo que levou a equipe aos mesmos sete pontos que Brasil e Chile, quinto e sexto colocados. Sua participação mais incisiva veio logo no primeiro gol, quando abriu o placar com uma bela finalização ainda aos dez minutos de jogo. O meia recebeu passe forte de Bacca e ainda assim conseguiu matar no peito e finalizar cruzado, no canto esquerdo de Quiñonez.

O gol de James:

Aos 40 minutos, James voltou a ser fundamental no ataque colombiano, devolvendo o presente que recebera de Bacca e dando a assistência para o gol do atacante do Milan. A Bolívia voltou para o segundo tempo com bastante fôlego, pressionando a equipe de José Pekerman e conseguindo, em apenas 17 minutos, o empate em 2 a 2, com gols de Juan Arce, de pênalti, e Chumacero, que acertou um belo chute de fora da área para empatar após contra-ataque puxado por Duk.

A Bolívia parecia ter conseguido uma reação impressionante, já que o jogo havia chegado aos 45 minutos do segundo tempo, e a Colômbia não havia alcançado a reação necessária para voltar a tomar a frente no placar. Foi então que o pé calibrado de James entrou mais uma vez em ação. O camisa 10 iniciou um rápido contra-ataque com uma virada de jogo precisa para Marlos Moreno. O jogador do Atlético Nacional então arrancou em velocidade e tocou para Cardona, que deu números finais ao jogo, fazendo 3 a 2 aos 46 do segundo tempo.

O tento da vitória, de Cardona:

Coletivamente, a vitória foi importante para a Colômbia, que havia iniciado as eliminatórias com apenas uma vitória em quatro jogos. Individualmente, ninguém gozou de atuação mais revigorante do que James. Se no Real Madrid ele vem de partidas seguidas sendo vaiado no Santiago Bernabéu, incapaz de encontrar seu melhor futebol, pela seleção colombiana ele prova que pode ser apenas questão de tempo para retomar a melhor forma pelos merengues.

James sofreu com lesões no início da temporada europeia pelo Real Madrid. Seu relacionamento difícil com o antigo técnico Rafa Benítez tornou ainda mais difícil seu retorno às grandes atuações, mas, combinada com o tipo de futebol apresentado nesta quinta, a consciência de que faz uma campanha abaixo do esperado, evidente em sua declaração de que respeita as críticas e transformará as vaias em aplausos, pode ser motivo suficiente para que em breve o camisa 10 esteja novamente nas graças da torcida blanca.