Uma das grandes imagens na rodada passada da Premier League foi protagonizada por Alireza Jahanbakhsh. Transferência recorde do Brighton, o iraniano demorou a engrenar no clube e sofreu com as lesões. Precisou de um ano e meio para marcar seu primeiro gol pelas Gaivotas e, ao balançar as redes contra o Bournemouth, justo em sua estreia na atual temporada, até chorou. Pois a sorte realmente parece ter virado ao atacante. Nesta quarta, ele marcou seu segundo tento pelo Brighton. Um golaço, candidato precoce ao prêmio de mais bonito de 2020. Jahanbakhsh saiu do banco e acertou uma bicicleta maravilhosa, arrancando o empate por 1 a 1 contra o Chelsea dentro Estádio Amex. Prêmio à maneira como os anfitriões cresceram no fim.

Dominando a posse de bola durante os primeiros minutos, o Chelsea não demorou a encontrar seu primeiro gol. O tento surgiu aos dez, em bola que pipocou na área após cobrança de escanteio de Willian pela direita. Aaron Mooy até tentou salvar o desvio de Tammy Abraham quase em cima da linha, mas César Azpilicueta apareceu para completar às redes. A pressão exercita pelos Blues na marcação e a boa troca de passes manteve o time no controle durante a sequência do primeiro tempo, com raros sustos. Nos minutos anteriores ao intervalo, todavia, o Brighton cresceu e forçou a defesa adversária. Na melhor chance, Kepa Arrizabalaga parou Leandro Trossard numa plástica defesa com a mão trocada.

Durante o início do segundo tempo, o Brighton veio com uma postura mais agressiva. O time avançou em campo e tentou pressionar o Chelsea. O problema é que os espaços sobravam aos contragolpes dos visitantes, bem mais efetivos em suas ações. Os londrinos ameaçaram um bocado a meta de Mat Ryan, mas não conseguiram passar pelo goleiro. Christian Pulisic apareceu bastante pelo lado esquerdo, sem aproveitar suas chances. Além disso, Lewis Dunk travou uma bola vital em duelo com Tammy Abraham.

Depois de 20 minutos no limite, o Brighton finalmente passou a se impor mais à frente. A marcação do Chelsea começou a ceder espaços e as Gaivotas se prontificavam ao empate. A entrada de Alireza Jahanbakhsh no lugar de Aaron Mooy, aos 23, auxiliaria os anfitriões. O gol não saiu aos 34 por um milagre de Kepa. O goleiro realizou uma defesa fabulosa para barrar o tiro à queima-roupa de Aaron Connolly. De qualquer maneira, o tento parecia maduro. Trossard ainda perderia uma boa chance, até que o fantástico acontecesse aos 39.

O escanteio pela direita colocou a bola no segundo pau e Dunk conseguiu vencer a marcação no alto, para escorar de cabeça. Então, o lance veio perfeito para Jahanbakhsh, totalmente desmarcado, emendar a sua acrobacia. Impressiona a altura que o iraniano atingiu para executar o chute mortal. Bola em direção ao chão, rumo ao canto oposto, sem qualquer chance de defesa para Kepa. Golaço para abrir de maneira esplendorosa 2020. No fim, o Chelsea tentou responder e Callum Hudson-Odoi tirou tinta da trave. Contudo, o momento era do Brighton, que seguiria na pressão e exigiria mais uma grande intervenção de Kepa. A virada pareceu possível até o apito final.

O técnico Graham Potter realiza um trabalho excepcional à frente do Brighton, especialmente pela forma como o time se porta nos grandes jogos e busca o ataque. A equipe aparece no 13° lugar da tabela, com 24 pontos. A sequência recente não é tão boa, mas as Gaivotas têm se saído bem nos duelos contra adversários na parte superior da tabela. Desta vez, as substituições e adaptações táticas do comandante foram vitais. Já o Chelsea ao menos não perderá seu lugar no G-4. Os Blues se seguram na quarta colocação, com 36 pontos, cinco à frente do Manchester United. Entretanto, a equipe de Frank Lampard segue com dificuldades para encadear vitórias, mesmo após o sucesso nos clássicos recentes.

Classificações Sofascore Resultados