Duas antigas estrelas do futebol português mudaram de clube nesta sexta-feira, último dia do mercado em vários países (em Portugal, especificamente, vai até o sábado, 1º de setembro). Jackson Martínez, que brilhou intensamente pelo Porto, voltou a Portugal para defender… O Portimonense. O lateral Fábio Coentrão, por sua vez, continua no futebol do país, mas agora no Rio Ave, clube que iniciou a carreira. Duas transferências curiosas deste dia.

LEIA TAMBÉM: Lyon fez uma troca interessante de atacantes: perdeu Mariano Díaz e ganhou Moussa Dembélé

Aos 31 anos, Jackson Martínez era um dos jogadores mais bem cotados do mercado em 2015, quando era o artilheiro no Porto. Na temporada 2014/15, o centroavante fez 42 jogos e marcou 32 gols, uma marca que chamou a atenção. E este foi o seu terceiro ano muito bem no clube português, sempre marcando muitos gols. Assim, acabou vendido por € 37 milhões.

Seu destino, então, foi o Atlético de Madrid, de Diego Simeone. Só que o seu desempenho por lá não foi o esperado. Em 22 jogos, o atacante colombiano marcou apenas três gols e acabou vendido à final antes mesmo do fim da temporada, em fevereiro de 2016. Foi para o Guangzhou Evergrande, da China. Por lá, porém, o colombiano não foi nem de longe o sucesso que se esperava. Fez poucos jogos e foi jogado para o time B. São dois anos e meio que praticamente não foi aproveitado, exceto por alguns raros jogos. Por isso, é normal a desconfiança e quem aposta nele é um time pequeno, o Portimonense, e por empréstimo.

O contrato de Jackson Martínez com o Portimonense é até o fim da temporada, em 30 de junho de 2019. O seu contrato na China vai até dezembro de 2019, mas dado o seu pouco aproveitamento por lá, é provável que seja liberado de graça ou, ao menos, por um valor baixo. Se em 2015 o colombiano, que estava na seleção do seu país, valia € 35 milhões, atualmente está avaliado pelo site Transfermarkt a € 3 milhões. Tentará recuperar o bom futebol que o levou a ser uma estrela na Europa e um jogador de seleção em seu país. No momento, não é nenhuma das duas coisas.

O Portimonense, aliás, se reforçou com mais jogadores que podem se enquadrar na categoria de surpresas. O meia Lucas Fernandes e o atacante Paulinho Bóia chegam por empréstimo do São Paulo. Os dois têm apenas 20 anos e chegam com opção de compra, caso tenham sucesso. O time levou mais jogadores do Brasil: Guilherme Lazaroni, lateral esquerdo de 25 anos do Figueirense, Fernandinho, meia de 23 anos do Gama. A leva de brasileiros chegando ao clube ainda conta com o zagueiro Jubal, 25 anos, que vem do Arouca, e Ewerton, 25 anos, que chega por empréstimo do Porto.

Fábio Coentrão de volta para casa

O lateral esquerdo Fábio Coentrão ganhou prestígio em 2010, quando foi o melhor jogador da sua posição na Copa do Mundo. O jogador, então no Benfica, acabaria no Real Madrid em 2011. Chegou a ter bastante moral, jogando partidas importantes no lugar de Marcelo. Em 2015, já sem espaço, foi para o Monaco por empréstimo, depois foi para o Sporting, onde jogou na temporada passada. Só que os Leões não tentaram ficar com o jogador e, assim, ele retorna ao Rio Ave em uma transferência livre.

“Fiquei à espera até hoje da chamada do clube, pelo qual dei tudo o que tinha o ano passado, e até ao dia 31 recebi zero chamadas. É triste…”, contou o lateral ao jornal Record. Ele rescindiu contrato com o Real Madrid, com quem ainda tinha contrato, e acertou com o clube de formação. Aos 30 anos, chega em sua casa depois de rodar o mundo e ter sofrido muito por lesões.

“Sinto uma felicidade tremenda porque voltar ao clube da terra diz-me muito. Ao contrário do que muita gente possa vir a dizer, neste momento sou uma pessoa feliz”, disse o jogador. “Passei por muito no futebol, já passei pelo maior clube no mundo, já passei por muitos clubes bons, mas cheguei a um ponto na carreira em que preciso de felicidade. Acho que vou encontrar essa felicidade no clube da minha terra. Sei que aqui sou amado e que as pessoas me querem”, afirmou o jogador.

“Não estou a dizer que não me querem noutros sítios, porque no Sporting senti um carinho especial, eu próprio tenho um carinho tremendo pelo Sporting”, desabafou o jogador. “Acho que fiz a escolha certa, nem pensei duas vezes. Já conquistei tudo no futebol, tive uma carreira muito bonita mas não quero que fique por aqui”, concluiu.

No Rio Ave, Coentrão tentará repetir o sucesso que conseguiu ter pelo clube, que o levou a dois anos de muito sucesso, de 2005, quando começou a atuar profissionalmente, até 2007, quando foi vendido ao Benfica. Desde 2009 é jogador da seleção portuguesa e poderia ter ido à Copa do Mundo, mas pediu dispensa por não estar bem fisicamente, um dos dramas da sua carreira em decorrência das lesões.

Com Jackson Martínez no Portimonense e Coentrão no Rio Ave, o Campeonato Português certamente ficará mais interessante.


Os comentários estão desativados.