O Brasil precisará da vitória sobre a Argentina na última rodada do Torneio Pré-Olímpico se não quiser depender de outros resultados. A equipe de André Jardine fez outro jogo ruim nesta quinta-feira e apenas empatou com o Uruguai por 1 a 1, em Bucaramanga. E os protagonistas da noite foram os goleiros, mas não por um bom motivo. Ivan protagonizou um frangaço, que permitiu à Celeste abrir o placar. Já do outro lado, Ignacio de Arruabarrena cometeu uma falha inclassificável (e muito pior) no lance que rendeu o empate aos brasileiros.

Era um primeiro tempo aberto na Colômbia. O Uruguai começou a partida levando mais perigo, antes que o Brasil se livrasse da pressão e começasse criar suas chances. Ivan e Arruabarrena chegaram a fazer boas defesas, até que o desastre acontecesse a partir dos 34 minutos. O Uruguai abriu o placar com Manuel Ugarte, mas, na verdade, quem ajudou foi Ivan. Apesar do desvio do chute em Bruno Fuchs, o goleiro brasileiro cometeu uma falha clamorosa, ao permitir que a bola passasse por suas mãos. Cinco minutos depois, Arruabarrena conseguiu fazer pior.

É até difícil descrever o que aprontou o arqueiro do Uruguai. Pedrinho cabeceou e Arruabarrena fez a defesa parcial. A bola estava dominada sob o seu corpo e ele precisava apenas realizar um movimento simples para seguir a jogada. Inexplicavelmente, colocou a pelota para dentro da própria meta. Ainda tentou falar que não tinha passado a linha, mas não adiantava. O lance é tão estranho que até gera suspeitas se dá mesmo para fazer aquilo sem qualquer intenção.

Não era uma boa atuação do Brasil, além dos frangos. A equipe de novo não oferecia opções às jogadas ofensivas, enquanto atrás seguia muito exposta. Ia mal contra um Uruguai que, tecnicamente, possui um conjunto inferior. E a situação não melhorou aos brasileiros no segundo tempo. O time encontrava dificuldades para furar a defesa celeste e se limitava a chutes de longe. Arruabarrena se redimiu, sobretudo ao bloquear uma cabeçada de Matheus Cunha.

Os uruguaios criaram as oportunidades mais perigosas da etapa complementar, com uma cobrança de falta de Joaquín Piquerez na trave e as arrancadas de Diego Rossi, que desperdiçou dois lances claros. A Seleção tentou o abafa na reta final do jogo, revigorada com a entrada de Reinier. Todavia, as bolas alçadas pouco renderam e os brasileiros ainda deram brechas aos contragolpes. O time de André Jardine até parece involuir durante a competição.

O Brasil soma dois pontos no quadrangular final do Pré-Olímpico, enquanto o Uruguai possui apenas um. As duas equipes aguardam o resultado de Argentina x Colômbia na sequência da noite. Para os brasileiros se classificarem às Olimpíadas sem influência de qualquer outro placar, precisarão vencer os argentinos. A Albiceleste tem seus defeitos, mas apresenta um futebol mais consistente nos últimos jogos. O tropeço desta quarta é custoso à Seleção.