Itália

Totti, o fanático torcedor que virou capitão da Roma

Você já deve saber que antes de virar jogador profissional, Francesco Totti já foi frequentador da Curva Sud (principal setor no estádio Olimpico de Roma) e até gandula na casa romanista.

Outra coisa que não é nenhuma novidade é a relação de ódio dele com a Lazio, sentimento que não se esconde na fisionomia do capitão giallorosso durante qualquer dérbi da capital italiana. Totti sempre vive o clássico como os que vibram nas bancadas dos dois lados. E sempre que pode dá provas de que as provocações aos laziales não são apenas brincadeiras infantis.

Em entrevista à France Football, Francesco confessou que teria sérios problemas familiares caso seu filho resolvesse torcer para a Lazio, entre outras declarações de amor à Roma. Recrutado pelas categorias de base da equipe giallorossa quando ainda era apenas um garoto, passou toda a sua carreira defendendo as cores romanistas e virou muito mais do que um ídolo da sua torcida. Essa história poderia ter sido bem diferente caso ele tivesse aceitado uma oferta do Real Madrid em 2004.

Uma casa romanista

Criado numa casa tipicamente romanista, Totti afirma que não se vê defendendo outro clube que não a Roma. Nos seus tempos de juvenil, também foi observado por olheiros da Lazio que chegaram a fazer uma oferta para garantir os serviços do garoto em sua categoria de base. No entanto, sua mãe, Fiorella optou por não deixar as negociações seguirem quando ele ainda estava em formação na Lodigiani. Desde muito menino era integrante da torcida da Roma e dificilmente iria ter vingado como jogador do principal rival. “Se ela escolhesse a Lazio, eu a mataria”, diz Totti aos risos.

A restrição clubística vai mais longe. Francesco também não permitiria que seu filho Cristian virasse um laziale. “Imagino se ele viesse a mim e dissesse que decidiu ser torcedor da Lazio. Nunca mais o deixaria entrar em casa”, comenta o capitão. Lidando com a rivalidade de forma bem humorada, Totti ainda confessa ter amigos do outro lado. “Infelizmente sim, tenho amigos laziales”. E também revela que sua mulher Ilary Blasi era torcedora biancocelesti quando criança.

A recusa das taças do Real Madrid

Em 2004, o atacante recebeu uma oferta milionária do Real Madrid e ficou muito perto de deixar a Roma, recusando apenas por detalhes. “É verdade, estive bem perto do Real, queria um grande time para vencer e naqueles tempos, os chefes da Roma não me davam o que eu queria. Eventualmente, o meu coração pediu para que eu ficasse. E eu não me arrependo nem um pouco disso. Se eu tivesse ido pra lá, teria vencido três títulos da Liga dos Campeões, duas Bolas de Ouro, entre outras premiações. Certamente teria mais chances, mas repito: fiz o que preferi. Meu único arrependimento é não ter vencido mais dois títulos italianos”, acrescenta Totti.

Está cada vez mais raro um atleta passar todo o seu tempo como profissional defendendo o mesmo clube, e neste quesito, Totti está ao lado de grandes nomes como Paolo Maldini, Franco Baresi, Steven Gerrard, Jamie Carragher, Rogério Ceni e Marcos. É bom saber que o amor à camisa ainda pode falar mais alto do que os dólares ou as chances reais de título, afinal, não só de taças vive o verdadeiro torcedor. Ele precisa de grandes ídolos para fortalecer o sentimento por um time.

Mostrar mais

Felipe Portes

Felipe Portes é zagueiro ocasional, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo