ItáliaSerie A

Luiz Adriano salvou mais uma atuação ruim do Milan com vitória no final

Um gol nos minutos finais salvou o Milan de ais um tropeço neste domingo, pelo Campeonato Italiano. O brasileiro Luiz Adriano, que entrou no segundo tempo, acabou marcando o gol da vitória contra o Sassuolo, em um jogo pouco inspirado do rubro-negro. Mas a vitória veio mesmo assim, o que alivia um pouco a situação ruim deste início de temporada e agora é 10º colocado.

LEIA TAMBÉM: Se o Milan tem seus demônios, Berlusconi diz que pode ser o exorcista

Para começar, o técnico Sinisa Mihajlovic já tratou de comprar uma briga. Colocou o experiente goleiro Diego López, de 33 anos, no banco de reservas. E quem entrou é que surpreende. Nada de Christian Abbiati, o veterano de 38 anos. Quem entrou foi Gianluigi Donnarumma, de apenas 16 anos e com 1,96 metro de altura. Antes do jogo, já se falava na possível mudança e na insatisfação de Diego López com a notícia. Alguns veículos chegam a especular que o goleiro irá pedir para sair em janeiro, na próxima janela de transferências.

O primeiro gol do jogo teve polêmica. Cerci fez um belo passe para Bacca, que passou pelo goleiro e caiu. O árbitro, Gianlucca Rossi, apontou a marca do pênalti, marcando o toque do goleiro Consigli no atacante colombiano. O replay não deixou claro se houve, de fato, esse toque. Muitos consideraram que foi um mergulho. O maior erro do árbitro, porém, foi ter expulsado o goleiro pelo lance. O cartão vermelho direto deixou os visitantes com um a menos.

O gol de Bacca, no pênalti, deixou uma situação melhor para o time mandante, mas não muito. A atuação milanista não era grande coisa. Bonaventura foi, mais uma vez, o mais participativo do time. Se esforçou, pegou a bola, tentou passes, chutes e foi muito bem. Só que foi um dos poucos que se salvou. Aliás, foi quem mais chutou na partida, cinco vezes – mais que os quatro chutes do Sassuolo.

O segundo tempo veio com um golaço do Sassuolo, que mudou o jogo. Domenico Berardi, de falta, marcou um golaço. Eram oito minutos e o jogo, então, se tornou perigoso. O Sassuolo até ameaçou tentar a vitória, ainda que timidamente. Com o passar dos minutos, o Milan foi para cima, cada vez mais, e pressionou. Vieram duas mudanças, com a entrada de Bertolacci e Luiz Adriano, para sufocar o adversário. Funcionou.

Foram 21 chutes a gol do Milan contra quatro do Sassuolo. O time não foi criativo e a atuação não foi mesmo grande coisa. Mas a pressão aconteceu, de fato, e o gol acabou saindo assim, na base do abafa. Aos 41 minutos do segundo tempo, depois de um escanteio. A bola sobrou no meio da área para Luiz Adriano cabecear e correr para o abraço. Um gol salvador para o time, que mais uma vez ficava pressionado pelo mau resultado que se desenhava.

Luiz Adriano salvou. E os melhores momentos do jogo do Milan, ainda que em uma situação muito específica, como foi neste domingo contra o Sassuolo, com um jogador a mais em campo. O que deve fazer com que Mihajlovic pense novamente em jogar com os dois juntos, como começou a temporada.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo