Serie A

Borja Valero chega sem alarde, mas para ser uma peça importante na Inter de Spalletti

A janela de transferências segue ritmos diferentes em Milão. O Milan vem fazendo um mercado intenso, aproveitando a disposição de seus novos donos. Gasta majoritariamente em jogadores jovens e que possam se consolidar nos próximos anos. Enquanto isso, a Internazionale é um pouco mais contida em seus planos. A grande novidade até o momento está no banco de reservas, com Luciano Spalletti. No entanto, aos poucos os nerazzurri vão dando uma cara diferente também ao seu elenco. Interista desde a infância, Daniele Padelli será o goleiro reserva. Milan Skriniar adiciona juventude ao miolo de zaga, trazido da Sampdoria, após fazer um bom Campeonato Europeu Sub-21. Já o nome mais tarimbado vem para o meio de campo. Aos 32 anos, Borja Valero oferece experiência e muita qualidade técnica para ser o vértice da Inter nesta nova etapa.

Os predicados de Borja Valero são mais do que conhecidos na Itália. Trazido do Villarreal, o espanhol permaneceu cinco anos na Fiorentina. Transformou-se em uma das referências da Viola, também pela influência no jogo da equipe quanto pelo poder de decisão. Distribuindo assistências e também marcando os seus golzinhos, o meia se manteve como um dos maiores ídolos no Estádio Artemio Franchi ao longo desta década. Não que os violetas apresentassem grande ambição, sem ir além das classificações à Liga Europa. Ainda assim, ele era um dos principais responsáveis pelas campanhas dignas do clube.

A última temporada não foi tão boa para a Fiorentina, sem engrenar na tabela e encerrando a Serie A na oitava colocação. Contudo, quando se prometiam ideias diferentes a partir da chegada de Stefano Pioli, a Viola passou a enfrentar uma dura crise. Os donos resolveram colocar o clube à venda. Iniciou-se um período de desmanche, que deve ter consequências ainda mais profundas ao elenco. Apesar de diversas contratações até o momento, anunciadas especialmente antes do impasse, os violetas começaram a perder nomes importantes. Josip Ilicic, Borja Valero e Gonzalo Rodríguez são os primeiros nomes de uma lista que deve ser mais extensa.

Em entrevista concedida nesta terça, Borja Valero confirmou a situação conturbada nos bastidores, afirmando que isso motivou a sua saída: “Para ser honesto, eu nunca teria deixado Florença, mas depois de alguns problemas nos últimos meses, a situação se tornou insustentável. Eu não compartilhava a mesma visão da nova direção esportiva do clube. Não acho que fui tão importante a eles quanto Florença foi para mim. Não poderia seguir daquela forma, você também precisa pensar em si. Não sei qual vai ser o futuro do clube, posso falar apenas sobre a minha carreira, mas a Fiorentina sempre será especial para mim”.

Já na Internazionale, Borja Valero encontra uma situação mais estável, mas nem tanto. Os resultados na última temporada foram bastante decepcionantes e o time rendeu pouco coletivamente. Além disso, até por aquilo que acontece em Milanello, as cobranças sobre o rendimento dos novos reforços tendem a ser maiores do que o comum. Nada que deva amedrontar o veterano. Afinal, ele será um dos pontos-chave para que os nerazzurri se moldem novamente em campo. É um jogador de muita qualidade nos passes, visão de jogo e capacidade nas bolas paradas. Costuma contribuir demais na criação do time. E, apesar da idade, dado o seu estilo de jogo, possui condições físicas por mais algumas temporadas. O contrato até 2020 parece na medida.

“Estou realmente satisfeito, é um grande desafio profissional para mim chegar à Inter. Vim para jogar como nos últimos anos, fazendo diferentes funções no meio de campo, especialmente diante da ausência de alguns de meus companheiros. Eu darei o meu melhor e mostrarei o que eu posso fazer. Saúdo os torcedores da Inter e espero que conquistemos muitas coisas juntos”, declarou Valero.

Pelo preço e pela importância que pode ter, os €5,5 milhões pagos em Borja Valero se sugerem bem em conta. Até porque Spalletti poderá aproveitar a sua categoria em diferentes formações. É daqueles negócios que nem chamam muita atenção, mas tem boas chances de dar certo. Por aquilo que se viu nos últimos meses, a Internazionale ainda precisa solucionar outras carências. De qualquer maneira, o espanhol oferece um belo começo aos nerazzurri.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo