Em 1982, Johan Cruyff e Jesper Olsen imortalizaram um jeito diferente de cobrar pênaltis, com o então camisa 14 do Ajax rolando para o companheiro e recebendo a bola de volta para empurrar para o gol vazio. Sempre que alguém tenta reproduzir o lance, é comum que as pessoas associem a jogada à dupla dos Godenzonen. O registro mais antigo do pênalti de dois toques, no entanto, credita a lenda belga Rik Coppens como inventor do lance. Nesta quinta-feira, aos 84 anos, o ex-jogador do Beerschot e da seleção belga faleceu, e apesar da série de gols que fez no Belgão e da participação discreta na Copa do Mundo de 1954, com um gol marcado no empate com a Inglaterra, será lembrado internacionalmente justamente pelo lance.

VEJA TAMBÉM: Neymar completa 23 anos com tudo para escrever uma grande história

O lance inovador de Coppens foi realizado durante uma partida das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 1958, um ano antes da competição. O adversário era a Islândia, e a Bélgica acabou vencendo por 8 a 3. O gol do ídolo do Beerschot veio já no fim do jogo, quando os Diabos Vermelhos já venciam por 6 a 1. Numa situação dessas, por que não tentar algo do tipo?

Além do marcante gol de Cruyff, outra reprodução famosa do lance de Coppens foi protagonizada por Henry e Pirès, em duelo contra o Manchester City, no Highbury, em 2006, mas justamente por ter falhado de forma bastante constrangedora. Diferentemente dessas outras duas ocasiões, o Arsenal não estava tão confortável no placar, embora tenha terminado com a vitória por 1 a 0, justamente com um gol de Pirès, de pênalti.

O lance pode até ser a memória mais marcante da carreira de Rik Coppens, mas, nacionalmente, seu nome remete a mais que isso. Foi o vencedor da primeira premiação de melhor jogador da Bélgica, em 1954, fez 47 jogos e 21 gols pela seleção e tem um número impressionante de 258 gols em 389 jogos no Belgão, boa parte deles pelo Beerschot, pelo qual jogou entre 1946 e 1961. Encerrou sua carreira em 1970, aos 40 anos, sem nunca ter jogado fora de seu país-natal, apesar do assédio de times estrangeiros.

Confira o pênalti de Coppens, a partir de 1:31: