Depois de estrearem com empates na primeira rodada da Champions League, Barcelona e Internazionale entraram em campo sabendo que precisavam mostrar mais. Não só pelo resultado, mas porque os dois times ficaram devendo futebol. E, ao menos nesse segundo aspecto, os dois mostraram mais. A Inter fez um bom jogo no primeiro tempo, saiu em vantagem, e o Barcelona sofreu, mas se recuperou no segundo tempo para arrancar uma virada por 2 a 1 com participação decisiva de Luis Suárez, com dois gols, e Lionel Messi, de volta de lesão, que fez a jogada para o uruguaio marcar o gol da virada.

O técnico Ernesto Valverde contou com a volta de Lionel Messi ao time titular, recuperado de lesão. O camisa 10 foi escalado no ataque, ao lado de Luis Suárez e Antoine Griezmann. Sem lateral esquerdo, depois da lesão de Junior Firpo, o treinador do Barça teve que improvisar, já que Jordi Alba é outro machucado. Por isso, Nelson Semedo, lateral direito, foi improvisado na esquerda.

A Inter teve o desfalque de Romelu Lukaku. O atacante, machucado, nem foi para o banco. Por isso, Alexis Sánchez foi alçado ao time titular para formar o ataque ao lado de Lautaro Martínez. Além dele, o time foi o mesmo que o técnico Antonio Conte tem escolhido neste início de temporada.

Logo a dois minutos, a Inter conseguiu saltar à frente no placar. Em uma cobrança de falta rápida, Sensi tentou o toque de primeira, a bola tocou na defesa, Alexis Sánchez fez o passe, Lautaro Martínez recebeu em velocidade e tocou, cruzado, de pé esquerdo: 1 a 0. Poderia ser um lance fortuito, mas o andamento do jogo deu outro panorama.

Lautaro Martínez comemora gol pela Inter (Getty Images)

O Barcelona, como era de se esperar, tinha mais posse de bola, mas começou o jogo afogado na marcação forte da Inter. O seu primeiro lance de perigo veio em uma jogada pela lateral, com Sergi Roberto recebendo pela direita, cruzando alto para a área e Griezmann disputou a bola pelo alto para tocar, mas sem muita direção, para fora.

A Inter chegava menos, mas soube levar perigo. Aos 36 minutos, cruzamento na área que Lautaro subiu bem e cabeceou para baixo, exigindo grande defesa do goleiro Marc-André Ter Stegen. Três minutos depois, a Inter conseguiu chegar novamente com perigo, em uma jogada trabalhada pelo meio que Sensi finalizou de primeira, colocado, por cima.

O Barcelona terminou o primeiro tempo com 65% de posse de bola, 393 passes trocados, nove chutes a gol (quatro deles certos) e… Nenhuma chance de gol. A Inter, por sua vez, seis chutes a gol, dois certos, três escanteios e uma grande chance.

No segundo tempo, o panorama parecia o mesmo. A Inter era mais perigosa a cada retomada, enquanto o Barcelona rondava a área. O jogo era equilibrado nesse sentido, com os dois times tentando, de formas diferentes.

Valverde escolheu tirar Sergio Busquets, que tinha cartão amarelo, e colocou em campo Arturo Vidal. O chileno deu mais presença física no ataque, em um meio-campo que ficou mais avançado no campo. E foi com Vidal que o Barcelona arrancou o empate. O chileno cruzou da direita para a entrada da área e Luis Suárez ajeitou o corpo e deu um chute lindo, de primeira, no canto, com uma imensa precisão. Golaço no Camp Nou e 1 a 1 no placar.

Os dois times mudaram depois do empate. No Barcelona, Griezmann deixou o campo para a entrada de Ousmane Dembélé. Na Inter, saiu Alexis Sánchez e entrou Roberto Gagliardini. Uma substituição mais conservadora do treinador do clube italiano, que sofria naquele momento da partida, aos 21 minutos.

Conte mudou novamente a Inter com a entrada de Danilo D’Ambrosio no lugar de Antonio Candreva. O primeiro é lateral de origem e jogou até como zagueiro na pré-temporada, no esquema de três zagueiros, enquanto o segundo é mais ofensivo. A Inter tentava se defender no Camp Nou, em momento de ocupação territorial do Barcelona no ataque, ainda que sem criar chances.

Com dificuldades de chegar à frente na reta final do jogo, Conte mudou novamente o time ao colocar Matteo Politano no lugar de Stefano Sensi. Assim, o time voltou ao sistema com dois atacantes, já que Lautaro Martínez ficou muito isolado sem a presença de Sánchez em campo. Uma tentativa de não passar tanto sufoco na parte final do jogo, dando um pouco mais de saída. Ainda assim, a Inter não conseguia levar perigo como fez no primeiro tempo.

A Inter conseguiu um bom lance de ataque, mas acabou perdendo a chance com Politano, que foi bloqueado. E no ataque seguinte, ressurgiu um jogador que decide com constância. Messi recebeu em velocidade, passou por dois marcadores e rolou pelo meio para Suárez, que dominou já tirando da marcação e, no meio da área, tocou para marcar: 2 a 1, virada e festa no Camp Nou, aos 39 minutos.

Messi foi decisivo na jogada do segundo gol do Barcelona (Getty Images)

Apesar de tentativas no final, a Inter não mais conseguiu criar chances e acaba perdendo o jogo. O Barcelona, na volta de Messi, consegue uma vitória importante, ainda mais porque o Borussia Dortmund venceu fora de casa o Slavia Praga, que se mostrou um time bastante perigoso.

O primeiro tempo excelente da Inter, criando chances e sendo perigoso o tempo todo, deixou a desejar no segundo, com o Barcelona se recuperando. O jogo coletivo do time catalão ainda sofre demais, mas ao menos o time conseguiu mostrar um pouco mais de bola no segundo tempo, com a entrada de Vidal melhorando a equipe. Arthur, no meio-campo, fez um bom jogo, apesar de tudo.

Na Inter, faltou mais futebol no segundo tempo, recuada demais no segundo tempo e com mudanças que não melhoraram o time, como aconteceu no adversário. Sensi, que tem feito ótimo início de temporada, não conseguiu jogar no segundo tempo. Nicolò Barella, por sua vez, ficou devendo na criação e a falta de um meio-campo mais participativo acabou sendo decisivo também. Faltou mais saída, e Brozovic, o principal nome da Inter para que a bola saia limpa da defesa, foi sufocado no segundo tempo, o que facilitou a tarefa do Barcelona.

Na próxima rodada, no dia 23 de outubro, a Inter volta a jogar em casa, desta vez recebendo o Borussia Dortmund e contra as cordas. Será preciso que os italianos vençam os alemães, em casa, para seguirem com chances de avançar. Uma derrota pode deixar a situação quase irreversível. Um empate também complicaria muito a vida dos interistas.

O Barcelona, por sua vez, vai até a Tchéquia, onde enfrentará o Slavia Praga, que fez dois bons jogos, mas ainda não conseguiu vencer. Também precisará de um resultado se quiser sonhar com uma inusitada classificação.

Standings provided by Sofascore LiveScore