Desde o fechamento da janela de transferências, o Cagliari se prometia como uma equipe a se prestar atenção na Serie A. O clube da Sardenha contratou não só em volume, mas também em qualidade, e tinha potencial de crescimento. Pois o projeto dos rossoblù repercute muito antes de outros times que investiram pesado no Calcio. Na rodada passada, a equipe treinada por Rolando Maran já havia conquistado um excelente resultado, ao bater a Atalanta em Bérgamo. Já neste domingo, outra vitória imensa: 5 a 2 sobre a Fiorentina, que vinha em ascensão nas últimas semanas. Bons ventos que levam o Cagliari à terceira colocação neste momento.

O Cagliari gastou menos de €40 milhões no último mercado, uma quantia não tão alta para os padrões atuais do mercado. Quase metade deste dinheiro foi empregada em Nahitan Nández, maior contratação da história do clube, trazido por €18 milhões. Mas, além do uruguaio, os rossoblù fizeram jogadas inteligentes na janela. Trouxeram por empréstimo jogadores como Giovanni Simeone, Marko Rog, Robin Olsen e Luca Pellegrini. Além do mais, ganharam o retorno de Radja Nainggolan. O antigo ídolo preferiu voltar à cidade para acompanhar o tratamento de sua esposa, que luta contra um câncer. É uma liderança neste novo momento.

Mesmo com mais da metade de seu time titular composta por novos jogadores, o Cagliari não demorou a embalar. Perdeu as duas primeiras partidas, contra Brescia e Internazionale, mas desde então não sabe mais o que é derrota na Serie A. O time já acumula dez rodadas de invencibilidade, com sete vitórias no período. E algumas delas são expressivas, com triunfos sobre Napoli e Atalanta. Já a maior goleada foi aplicada neste domingo, na recém-reformada Sardegna Arena – onde, infelizmente, os casos de racismo são frequentes e já foram registrados nesta temporada.

A partida contra a Fiorentina, ao menos, seria marcada por emocionantes homenagens a Davide Astori, ídolo de ambos os clubes. Os mascotes usaram camisas em referência ao falecido zagueiro e, aos 13 minutos, todos no estádio o aplaudiram, incluindo os atletas em campo. Durante a primeira etapa, o Cagliari marcou seus três primeiros gols. Marko Rog, Fábio Pisacane e Giovanni Simeone balançaram as redes – o argentino, fazendo valer a Lei do Ex com uma belíssima conclusão de letra. No segundo tempo, o quarto gol veio com o brasileiro João Pedro, um dos destaques do clube nas últimas temporadas. Porém, o show precisava da marca do capitão Nainggolan.

Atuando na ligação, como um camisa 10, o Ninja havia distribuído três assistências nos quatro tentos anteriores – com direito a uma arrancada por metade do campo antes de enfiar a bola a João Pedro. Já o quinto gol veio com sua assinatura: Nainggolan recebeu na intermediária e mandou um petardo de fora da área, na gaveta do goleiro. Nos 15 minutos finais, o Cagliari até relaxou. Dusan Vlahovic anotou dois gols e descontou para a Fiorentina. Houve tempo também para Nainggolan ser ovacionado, substituído nos últimos instantes.

O Cagliari pode perder até três posições ao final do domingo, no aguardo dos jogos de Roma, Lazio e Atalanta. De qualquer maneira, a equipe apresenta credenciais que permitem sonhar ao menos com a Liga Europa – podendo retornar a uma competição continental pela primeira vez desde 1993/94, quando alcançou as semifinais da antiga Copa da Uefa. Com 24 pontos, os rossoblù vivem o melhor início de campanha desde 1969/70 – temporada em que o lendário time protagonizado por Gigi Riva terminou com o Scudetto. Não é para tanto desta vez, mas Nainggolan e seus companheiros dão motivos para acreditar em um desempenho notável.

Classificações Sofascore Resultados