A Itália sente cada vez mais o gosto de seu ressurgimento sob as ordens de Roberto Mancini. Os azzurri fazem uma campanha respeitável nas Eliminatórias da Euro 2020 e mantém os 100% de aproveitamento. Após o amplo triunfo sobre a Grécia no sábado, desta vez os italianos preponderaram em um duelo mais difícil, mesmo apoiados pela torcida turinesa no Estádio Allianz. A Bósnia terminou o primeiro tempo em vantagem, mas Insigne comandou a virada dos anfitriões na etapa complementar. Com um golaço e uma assistência, o camisa 10 novamente fez jus ao número às costas e definiu o triunfo por 2 a 1, que aproxima a Nazionale da competição continental.

Após a excelente vitória conquistada em Atenas, Roberto Mancini trouxe poucas novidades em sua escalação. A mais notável veio no comando do ataque, com Fabio Quagliarella no lugar de Andrea Belotti. O veterano era acompanhado por Lorenzo Insigne e Federico Bernardeschi – este, outra novidade, na vaga de Federico Chiesa. Do meio para trás, quase tudo igual, exceção feita ao lateral Gianluca Mancini. Seguiam no 11 inicial os defensores Salvatore Sirigu, Leonardo Bonucci, Giorgio Chiellini e Emerson; bem como a trinca de meio-campistas formada por Jorginho, Marco Verratti e Nicolò Barella.

A Itália começou a partida com muita atitude. Os anfitriões pressionavam e tentavam se impor no ataque. Porém, logo começaram a perceber o perigo que a Bósnia levava nos contragolpes. Sem que os italianos conseguissem romper a defesa adversária, os visitantes saíram em vantagem aos 33 minutos, graças a um velho conhecido do público local: Edin Dzeko. Após uma rápida troca de passes, Muhamed Besic ajeitou de calcanhar e Edin Visca chegou à linha de fundo, cruzando para Dzeko apenas escorar dentro da área.

Antes do intervalo, a Itália ficou próxima do empate. Na melhor oportunidade, Ibrahim Sehic realizou uma defesa com a ponta dos dedos para evitar o tento de Quagliarella. Mas foi somente na volta para o segundo tempo que a virada se consumou. Chiesa entrou no lugar de Quagliarella, com Bernardeschi reposicionado no centro do ataque. E o primeiro gol dos azzurri saiu logo aos três minutos. Uma pintura de Insigne. Bernardeschi cobrou escanteio em direção à entrada da área e o camisa 10, totalmente livre, pegou na veia. Um chutaço de primeira, que não deu chances ao goleiro Sehic.

A Bósnia seguiu representando uma ameaça, sobretudo com Dzeko, mas Sirigu trabalhou para evitar maiores sustos. Com o passar dos minutos, a Itália tomou de vez o domínio da partida e forçou novas defesas de Sehic. Desta maneira, a vitória se consumou apenas aos 41 minutos, graças a mais uma jogada de Insigne. O camisa 10 recebeu na ponta esquerda, gingou para cima da marcação e conectou com Verratti. Solto na área, o volante dominou e chutou no canto, definindo o placar sem muito trabalho.

A Itália nada de braçada no Grupo J. Soma 12 pontos, isolada na liderança. Sua principal concorrente é a surpreendente Finlândia, que chegou aos nove pontos, ao bater Liechtenstein por 2 a 0. Já a terceira colocação fica com a Armênia, que também superou a Grécia em Atenas nesta terça e acumula seis pontos. Decepcionantes, Grécia e Bósnia tem quatro pontos cada.