O Manchester City está com um apetite insaciável. Depois de anotar a maior goleada da era Guardiola no fim de semana, sobre o Rotherham (7 a 0), pela Copa da Inglaterra, voltou a quebrar esse recorde, nesta quarta-feira, ao golear o Burton Albion por 9 a 0, em casa, no jogo de ida das semifinais da Copa da Liga Inglesa. Dezesseis gols em uma semana. Para efeito de comparação, três a mais do que todos que o Huddersfield anotou em 21 rodadas da Premier League nesta temporada.

LEIA MAIS: Sem piedade: Manchester City detona o Rotherham por 7 a 0, a maior goleada sob Guardiola

 

Difícil não sentir um pouco de pena do Burton Albion. É a melhor campanha do time da terceira divisão na história das copas inglesas. Chegou à essa fase eliminando três equipes da Championship (Aston Villa, Nottingham Forest e Middlesbrough) e uma da elite, o Burnley. Claro que não imaginava eliminar o Manchester City. Mas poderia pelo menos sonhar com um placar que fizesse com que a recepção para os craques de Guardiola no seu estádio, em 23 de janeiro, fosse mais do que um mero amistoso.

O impressionante foi a maneira como o City não tirou o pé do acelerador. Porque o placar do primeiro tempo já mostrava 4 a 0, colocando além de qualquer dúvida a identidade do adversário de Chelsea ou Tottenham na decisão da Copa da Liga. Mesmo assim, marcou cinco vezes depois do intervalo e, nos minutos finais, parecia que ainda estava precisando de mais um gol para se classificar. Os jogadores queriam chegar aos dois dígitos.

Foi alta a qualidade das chances criadas pelo Manchester City. Uma avalanche de chegadas pelos lados da grande área, com aquele cruzamento rasteiro para trás. A defesa do Burton Albion cortou os que conseguiu. Sintoma disso é que os donos da casa precisaram de apenas 14 finalizações certas para marcar nove vezes. No total, foram 20 chutes a gol, um aproveitamento absurdo de quase 50%.

Quem melhor aproveitou a oportunidade foi Gabriel Jesus. Anotou quatro gols no mesmo jogo pela primeira vez na sua carreira na Europa, ganhando confiança em uma temporada complicada para o atacante brasileiro. Chegou a 12 tentos em 26 jogos, sendo apenas três na Premier League.

Kevin de Bruyne abriu o placar, seguido por dois gols de Jesus. Zinchenko acertou um lindo chute de fora da área – que, para alguns, pode ter parecido uma tentativa de cruzamento -, fechando a conta do primeiro tempo. Jesus voltou a deixar a sua marca depois do intervalo. Phil Foden fez 6 a 0. Jesus marcou novamente, antes de Kyle Walker e Riyad Mahrez darem números finais ao placar.