A menos de um mês de completar 36 anos, era de se imaginar que Iniesta já estivesse pensando em sua aposentadoria. Nada disso. Em entrevista ao Guardian, o ex-jogador do Barcelona, atualmente no Vissel Kobe, do Japão, afirmou que a paralisação dos campeonatos devido à pandemia do Coronavírus está o incentivando a jogar por mais tempo.

Iniesta falou com Sid Lowe, do Guardian, sobre como tem sido sua parada forçada do futebol. Assim como quase todos os jogadores profissionais do mundo, o espanhol aguarda uma definição sobre o retorno ou não da temporada de futebol. A J-League, por sorte, havia tido apenas uma rodada em sua campanha atual.

“Sempre que vejo uma foto de um jogo ou de um estádio cheio, fico desesperado para jogar de novo”, reconheceu o autor do gol do título da Espanha na Copa do Mundo de 2010. A saudade é tanta do futebol que Iniesta afirmou que, em vez de aproximá-lo da aposentadoria, o tempo parado está fazendo com que ele planeje estender sua carreira: “Todo esse tempo sem jogar me dará a energia para continuar por ainda mais tempo”.

Iniesta relembra então a cronologia das decisões no Japão. Demorou para que as autoridades anunciassem o adiamento dos Jogos Olímpicos para o próximo ano. Porém, logo que isso foi feito, a J-League estendeu sua paralisação para até pelo menos 9 de maio. Uma projeção que, para ele, soa um tanto quanto otimista demais. “Voltamos nesta data, em teoria. Não ter um alvo claro é difícil. Houve momentos em que pensamos que voltaríamos neste ou naquele dia, mas aí a suspensão era prorrogada. Não quero ser drástico, mas dá para ver que será muito difícil que esta temporada seja concluída. Espero que haja uma reviravolta e que tudo mude radicalmente para melhor, mas, por enquanto, parece difícil que voltemos a jogar”, resignou-se.

Iniesta lamenta ainda a situação em que equipes envolvidas em disputas importantes se veem no momento. O limbo pode ser agonizante, sobretudo para torcedores do Liverpool, por exemplo, que aguardam há 30 anos um novo título do Campeonato Inglês e, por enquanto, não sabem com certeza quando ou se poderão comemorá-lo.

“Acredito que haverá regras para definir um resultado ou outro em circunstâncias excepcionais, mas é uma situação difícil. Deve ser muito difícil para equipes como o Liverpool, que pode ver seu título lhe ser negado. Ou, para um time da segunda divisão que estava prestes a conseguir o acesso, ouvir que a temporada foi anulada, que ela não conta. Ou, de outra forma, um time na zona de rebaixamento que acaba sendo salvo. Não sei como se resolve isso.”

Iniesta corroborou as palavras de Uli Hoeness e disse acreditar que haverá um antes e depois do Coronavírus – em toda a sociedade, incluindo aí o futebol. “Do curto ao médio prazo, o vírus terá um impacto social e econômico em todos os níveis. O futebol faz parte da sociedade, não pode escapar disso. Você sente uma responsabilidade de fazer a coisa certa como pessoa e como figura pública. Isso terá um impacto. Haverá mudanças que persistirão”, avaliou.

Independentemente do que aconteça com os campeonatos ou do que ele próprio decida, Iniesta tem atualmente contrato até o fim de janeiro de 2021, abarcando mais uma temporada. Pelo andar da carruagem, talvez sua história nos gramados seja prorrogada por pelo menos mais alguns meses.