Inglaterra

Valdés é grande demais para ser reserva em qualquer lugar

Victor Valdés foi muito contestado durante a sua passagem pelo Barcelona. Era alvo de piadas, desconfianças e muitas críticas, algumas justas, algumas exageradas. Quando sofreu a sua séria lesão no joelho, em março do ano passado, no entanto, estava na sua melhor fase. Não seria absurdo argumentar que era o melhor goleiro em atividade. Com tantos títulos na carreira e alta capacidade de bloquear chutes, sua chegada ao Manchester United parece estranha. O espanhol de 32 anos é grande demais para ser reserva em qualquer lugar.

LEIA MAIS: Há 15 anos, Romário e Edmundo se uniam para destruir o United no Maracanã

É com essa condição que Valdés chega ao elenco de Louis van Gaal neste momento, apesar de conhecer o treinador da época de Barcelona e ter sido elogiado pelo seu auxiliar. Finalmente, David de Gea desviou as opiniões contrárias ao seu desempenho e sua própria insegurança. O símbolo disso foi a atuação contra o Liverpool, quando fez uma série de defesas e foi muito exaltado pelos torcedores. Virou até capa de disco do Pink Floyd.

“Ele se junta ao clube para ser o segundo goleiro e é um grande acréscimo ao nosso time principal”, disse Van Gaal. “Acho que, no momento, (De Gea) é o melhor goleiro do mundo. Suas atuações em todos os jogos mostram a todos que o nível dele está bem alto”, completou o próprio Valdés. Claro que do ponto de vista técnico ter dois goleiros de alto nível é excelente, mas essa lógica cai por terra se um deles se sentir pressionado por estar na sombra de alguém do tamanho do goleiro espanhol. E parece ser o pior momento para isso.

A escolha também não parece ser muito inteligente para Valdés. Voltando de lesão, após quase um ano afastado, precisa jogar com regularidade. Na reserva, não conseguirá isso, e mesmo que eventualmente assuma a camisa 1, a pressão pode bater em De Gea e voltar. Sem ritmo de jogo, conseguiria manter o nível do seu compatriota? Ele teria condições de assinar com qualquer clube médio do mundo, mostrar que nada mudou, e em julho buscar outro clube grande. Naturalmente, precisaria reduzir um pouco o seu salário.

As negociações para renovar o contrato de De Gea estão paradas. O acordo dele e o de Valdés terminam no verão de 2016, mas o documento do ex-goleiro do Barcelona tem uma cláusula de renovação automática por mais 12 meses. Deve apostar em ganhar um salário mais alto que em outros lugares para ser reserva por um ano e meio e depois assumir a titularidade. De qualquer forma, arriscado.

Já o Manchester United segue esbanjando na sua primeira temporada fora da Liga dos Campeões em muitos anos, como se precisasse provar que o seu investimento e seu tamanho não dependem de participação na competição mais rica de clubes. Gastou demais na última janela de transferências e pretende aumentar o investimento agora em janeiro. E contratou um Mercedes-Benz para dirigir ao trabalho no dia do rodízio do seu BMW, quando um Sedan básico seria mais do que o suficiente.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo