InglaterraMundoPremier League

Premier League completa 20 anos

No final dos anos 80 o cenário era péssimo para o futebol inglês. Até então tradicional e bem sucedida na década anterior, a liga local não estava entre as mais prestigiadas da Europa e a falta de atenção com a violência nos estádios e descaso com o torcedor comum foram evidenciados nas tragédias de Heysel, que resultou em uma punição de cinco anos longe das competições europeias para os clubes e Hillsborough, outro triste episódio em que a superlotação do estádio Hillsborough, em Sheffield, resultou na morte de 94 pessoas.

Chegou 1990 e a seleção da Inglaterra atingiu as semifinais da Copa do Mundo na Itália. No ano seguinte, após a suspensão europeia, o Manchester United venceu a Recopa do continente. Ainda no mesmo ano foi lançado o Taylor Report, uma organizada proposta de melhorias na tentativa de trazer a credibilidade para a liga inglesa.

Football e Premier League

Até então o campeonato inglês era organizado pela Football League, que cuidava dos interesses de todos os times. Visando um campeonato mais rentável, os principais clubes tomaram a frente do processo de uma liga principal, que negociaria seus direitos comercias de maneira independente. Em maio de 1992, os participantes da então primeira divisão oficializavam a Premier League, deixando a Football League com os interesses da segunda, terceira e quarta divisões. A primeira edição teve vinte e duas equipes, e o título foi para o Manchester United.

O resultado foi um sucesso. A Premier League completa em 2012 vinte anos e vai muito bem, obrigado. Aparece com frequência entre as ligas mais ricas do mundo (ao lado de ligas norte-americanas de beisebol, basquete e futebol americano), e negocia assombrosos direitos de transmissão televisiva – para a temporada 2013/14 a estimativa é que esse pacote valha £ 3 bilhões, com exibições em quase 200 países.

Críticas

Apesar do excelente sistema de distribuição financeira, onde mesmo com o critério de classificação no campeonato anterior os valores entre primeiro e último não são tão discrepantes (ao contrário da liga espanhola, com Real Madrid e Barcelona negociando direitos televisivos individualmente), há falhas. Críticos apontam a disparidade que a Premier League criou em relação a Football League e suas divisões de acesso. Uma parcela pequena do dinheiro é dividida com essas ligas o que acarreta em um sobe e desce das equipes menores. Por isso, o feito do Swansea, equipe galesa que subiu à Premier League em 2011 e terminou o último campeonato em décimo primeiro lugar é de se elogiar.

Os investimentos pesados de alguns clubes com proprietários milionários (Chelsea e Manchester City, por exemplo) são um problema quando lembramos da lei de Fair Play da Uefa que, na teoria, inibirá gastos descabidos dos clubes, ou ao menos tentará justificativas.

Geral

No geral, a Premier League é um sucesso. O futebol inglês recuperou a credibilidade, seus clubes atraem craques estrangeiros e aparecem com frequência entre os melhores da Liga dos Campeões. A média de público por jogo é de 34.600 pessoas, atrás apenas da liga alemã. Uma rápida navegada no site oficial mostra a preocupação em informar o torcedor e propiciar interatividade, deixando a liga cada vez mais próxima dele.

Com isso, a Premier League expande fronteiras e abre os olhos de torcedores do mundo todo. Inclusive aqui no Brasil.

Siga o colunista no Twitter.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo