InglaterraPremier League

O mais copeiro da Inglaterra, Bradford fecha ano inesquecível

O Bradford City viveu uma temporada sensacional. O clube alcançou a final da Copa da Liga Inglesa, algo que não acontecia com um time da quarta divisão inglesa desde 1962. Uma campanha incrível, deixando pelo caminho Arsenal, Wigan e Aston Villa. O Swansea acabou levantando a taça, com uma goleada em Wembley, mas a façanha já estava estabelecida. Um clube que quase faliu por duas vezes e sofreu três rebaixamentos em uma década, enfim, via a glória.

E o ano memorável dos Bantams não parou na Copa da Liga. A equipe treinada por Phil Parkinson voltou a Wembley neste sábado, desta vez para comemorar muito. O Bradford atropelou o Northampton por 3 a 0 e ficou com a terceira vaga do acesso à League One, a terceira divisão inglesa. Celebração enorme para os 48 mil espectadores no tempo do futebol inglês – o terceiro maior público da história em uma final da quarta divisão.

A campanha do Bradford na League Two foi oscilante, mas o clube soube crescer no momento certo. Permanecendo sempre na metade superior da tabela, o time saiu da zona dos playoffs em fevereiro, justamente quando se preparava para final da Copa da Liga. Retomou a sétima colocação apenas a quatro rodadas do fim, assegurando o posto até o fim do torneio.

Já na repescagem, os Bantams honraram a fama de copeiros e saíram com o acesso, mesmo sendo o time de pior campanha entre os quatro no páreo. Primeiro, eliminaram o Burton Albiol com uma vitória fora de casa, depois de terem perdido em Valley Parade. Já o desfecho glorioso veio com a supremacia ante o Northampton. E isso porque o Bradford não precisou recorrer aos pênaltis, sua grande especialidade. O clube soma nove vitórias consecutivas em disputas do tipo, recorde histórico do futebol inglês.

Ao término do jogo, o capitão Gary Jones resumiu o sentimento dos jogadores do Bradford: “Este é o melhor momento da minha vida, estamos contentes por cada um dentro deste clube”. Uma equipe que, há um ano, brigava para não cair à quinta divisão, foi protagonista em Wembley por duas vezes. Prêmio mais que merecido para a torcida que viu 56 dos seus morrerem em um trágico incêndio em 1986 e que manteve média de 10,3 mil pessoas por jogo, a maior da League Two com sobras. Não à toa, capaz de uma festa belíssima em Londres.

article-2326547-19DA474A000005DC-918_634x418

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo