Inglaterra

Mourinho pede que torcida do Chelsea não cante música sobre escorregão de Gerrard

“Stevie Gerrard, Gerrard, ele escorregou no seu próprio traseiro. Ele deu a bola para Demba Ba. Stevie Gerrard, Gerrard” é a música que a torcida do Chelsea compôs para provocar o capitão do Liverpool, desde que Gerrard escorregou na reta final do Campeonato Inglês da temporada passada e permitiu que Demba Ba abrisse o placar da derrota por 2 a 0 que se provou decisiva na briga do seu time pelo título. Às vésperas da semifinal da Copa da Liga Inglesa entre os dois times, José Mourinho, ombudsman das arquibancadas de Stamford Bridge, pediu que os fãs respeitem o camisa 8 rival e não cantem esses versos.

LEIA MAIS: No primeiro jogo pós-anúncio, Gerrard já mostra o que a torcida mais vai sentir falta

Não é a primeira vez que o treinador português palpita sobre o que os seus torcedores devem ou não fazer durante as partidas. Disse em novembro que os seus jogos em casa pareciam ser realizados com “o estádio vazio”. Motivou uma resposta espirituosa dos fãs, que pediram permissão para torcer de pé. “Eu não gosto mesmo dessa música que meus torcedores têm”, disse o treinador português. “Uma vez ou outra é divertido, mas ficar cantando sem parar, especialmente para um jogador como ele, que merece respeito, acho que não é necessário. Temos tantas outras músicas, não precisamos dessa”.

Mourinho rasgou elogios a Gerrard e lembrou quando tentou contratá-lo para o Chelsea em 2005. Naquela época, jogava com um triângulo no meio-campo e o seu sonho era usar Makelele à frente dos zagueiros e o camisa 8 ao lado de Lampard na armação. Chegou a discutir termos com os empresários do jogador do Liverpool, mas a negociação nunca avançou. E nunca avançaria.

“Ele nunca me disse que viria. Nunca”, garantiu. “Eu entendo porque ele quase – quase, quase, quase – veio para o Chelsea. Mas ele não veio e eu o respeito muito por isso. Ele sempre foi um Red e acho que sua decisão foi correta. Amo aquela frase dele, quando disse que em toda a sua vida nunca marcaria um gol contra o Liverpool. Amo aquelas palavras”.

Mourinho não costuma dar ponto sem nó, embora a iminente despedida de Gerrard, acertado com o Los Angeles Galaxy para a próxima temporada, tenha realmente motivado algumas homenagens. Essa declaração, especialmente a última frase, soa como uma cutucada em Lampard, que marcou um gol decisivo pelo Manchester City contra o Chelsea. Também pode ser um jeito de mexer com a cabeça do adversário antes de um jogo decisivo. Ou apenas uma manifestação de respeito mesmo.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo