Inglaterra

Jogador mais forte do mundo será personal trainer de torcedor do Wimbledon por um dia

Muito mais pelo porte físico que por sua habilidade, Adebayo Akinfenwa ganhou projeção no futebol inglês e internacional. O fato de ser o jogador mais forte do Fifa 15 também contribuiu para sua fama. E é em cima dela que seu clube, o AFC Wimbledon, da quarta divisão inglesa, pretende lucrar neste natal. A equipe está organizando um leilão para esta sexta-feira em que oferecerá diversas coisas, e, entre elas, está a oportunidade de malhar por uma hora com o robusto atacante como personal trainer por uma hora.

EJA TAMBÉM: Celtic doará ingressos a torcedores desempregados na rodada do Natal

Akinfenwa não é exatamente um exemplo de boa forma, mas não dá para negar sua força, como já provou na TV britânica, ao levantar um homem nada leve como se isso se tratasse apenas de um exercício qualquer. A partir disso, dá para imaginar o tipo de exercícios que o atacante recomendará ao torcedor.

A próxima manchete sobre o jogador mais forte do mundo possivelmente virá do confronto de seu Wimbledon com o Liverpool, pela Copa da Inglaterra. Em evidência por enfrentar um dos clubes mais tradicionais do país, certamente as câmeras o acompanharão, e a probabilidade de que o vejamos caçando algumas canelas de zagueiros é grande. Afinal, das quatro primeiras divisões inglesas, Akinfenwa é o jogador com mais faltas nesta temporada. Já são 70 infrações, 22 a mais que qualquer outro atleta.

Além do leilão da sessão de treino com o atacante de peso, o Wimbledon oferece itens como uma viagem junto com o elenco do time a um jogo fora de casa e uma faixa de capitão da campanha do título de 1988 da FA Cup, antes da dissidência que resultou na criação do atual AFC Wimbledon (após a mudança para Milton Keynes), entre outras coisas não especificadas. Oportunidades de ouro para o apaixonado torcedor dos Dons.

Confira um pouco do que espera o torcedor que vencer o leilão:

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo