Inglaterra

Joe Cole redescobre a simplicidade do futebol na terceira divisão inglesa

A vida das milhões de libras, atenção constante da imprensa e assédios dos torcedores não é mais a mesma para Joe Cole. O meia inglês de 34 anos, outrora uma das revelações mais empolgantes da Inglaterra, não encontra no seu novo clube o que tinha no Chelsea, no Liverpool ou na seleção inglesa. Mas, no Coventry, redescobriu o prazer nas coisas mais simples que o futebol proporciona.

LEIA MAIS: Joe Cole está na terceira divisão inglesa e continua fazendo golaços

Depois de muitas lesões e várias temporadas sem conseguir uma sequência de partidas, Joe Cole aceitou a aventura de defender um clube da terceira divisão inglesa. Não que precisasse, com todo o dinheiro que já ganhou na carreira, mas por que queria simplesmente continuar jogando bola.

“Você questiona quando o seu corpo está decepcionando e pergunta se tem algum sentindo continuar fazendo isso, mas então se lembra de quando era uma criança, quando tudo que você queria era jogar futebol, e fazer coisas como limpar as próprias chuteiras remete àqueles tempos e faz com que você goste mais da situação”, disse, em entrevista ao Independent.

Joe Cole não se sente frutrado com uma carreira que poderia ter sido melhor, caso ele não tivesse tantas lesões, mas prefere destacar os bons momentos que teve pelo Chelsea. “Se você me comparar com o Messi, eu não tive uma grande carreira. Mas se me comparar com 99% dos outros jogadores, tive uma grande carreira”, afirmou. “Pessoalmente, eu acho que algumas vezes, nos níveis mais altos do futebol, exigem demais dos jogadores”.

Em quarto lugar na League One, com 48 pontos, seis a menos que o líder Burton Albion (que tem duas partidas a menos), Joe Cole quer que o Coventry seja campeão. “Eu adoraria levar meus filhos para o gramado no final da temporada com um troféu. Seria um feito incrível e algo que eu colocaria no mesmo patamar de qualquer outra coisa que eu conquistei”, disse o tricampeão inglês.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo