Copa da InglaterraInglaterra

As histórias mais incríveis dos 90 anos da FA Cup em Wembley

Se o Estádio de Wembley é considerado um dos maiores templos da história do futebol, esse rótulo se deve muito à Copa da Inglaterra. A competição foi fundamental para engrandecer o principal palco do futebol inglês. Uma história que completa 90 anos em 2013, mesmo que as torres gêmeas e outros traços famosos não estejam mais presentes no novo estádio, remodelado e inaugurado em 2007.

Erguido em exatos 300 dias, o antigo Wembley foi construído para servir de sede à Exibição do Império Britânico, evento realizado em 1924. Sua inauguração, entretanto, aconteceu em 28 de abril de 1923, apenas quatro dias depois da finalização das obras. Na ocasião, Bolton e West Ham fizeram a decisão da Copa da Inglaterra.

Sem imaginar a capacidade do evento, a Football Association não pediu ingressos para a entrada do público no estádio. Oficialmente, 126 mil espectadores lotaram Wembley. Porém, as estimativas extraoficiais calculam que 300 mil pessoas foram ao local naquele dia – cerca de 60 mil, tentando assistir ao jogo do lado de fora dos portões. Entre os ilustres presentes, o Rei Jorge V, então dono da coroa britânica.

A cena mais célebre daquela final aconteceu antes mesmo de a bola rolar. Devido à superlotação em Wembley, milhares de torcedores se abarrotavam dentro de campo. Para dar início à partida, o policial George Scorey, montado sobre o cavalo Billy, abriu espaço dentro de campo e conduziu os espectadores às linhas laterais. A cena acabou eternizando a partida como “White Horse Final” – a Final do Cavalo Branco.

Depois de 45 minutos de espera, a decisão teve início. Com o público se espremendo à beira do campo, contudo, a partida precisou ser interrompida uma vez e os jogadores não puderam ir aos vestiários durante o intervalo. Cerca de 900 torcedores se lesionaram durante o evento e 22 precisaram ser levados ao hospital.

David Jack foi o responsável pelo primeiro gol de Wembley, deixando o Bolton em vantagem logo aos dois minutos de jogo. Já o capitão Jack Smith sacramentou a vitória dos Whites por 2 a 0.  Ao apito final, Smith recebeu o troféu das mãos do Rei Jorge V. Depois da partida, os jogadores de ambas as equipes ainda jantaram com o primeiro ministro britânico, David Lloyd George, e receberam medalhas de ouro pela participação na final.

Neste sábado, Manchester City e Wigan decidirão o campeão da Copa da Inglaterra em Wembley mais uma vez. O estádio atual não comportará centenas de milhares de pessoas e nem mesmo um cavalo branco precisará entrar em campo para poder dar início à partida. De qualquer forma, a expectativa é por um grande jogo. Não apenas para fazer jus à campanha dos dois times, mas para honrar a história. Uma riquíssima ligação entre a competição de clubes mais antiga e um dos estádios de futebol mais famosos do mundo.

Dez grandes histórias da decisão da FA Cup em Wembley:

1926/27 – Pela primeira vez e única vez, um time de fora da Inglaterra foi campeão da competição. O Cardiff City bateu o Arsenal de Herbert Chapman por 1 a 0, graças a um frango do goleiro Dan Lewis – que culpou o material da camisa pela falha. Foi a primeira decisão transmitida no rádio, pela BBC.

1932/33 – O primeiro jogo competitivo da história no qual os jogadores utilizaram números nas camisas. Os atletas do Everton se alinharam de 1 a 11 às costas, enquanto o Manchester City usou os uniformes de 12 a 22. Melhor para os Toffees, que ficaram na frente também no placar, com vitória por 3 a 0 – gols de Jimmy Stein, Dixie Dean e James Dunn.

1952/53 – O jogo da vida de Sir Stanley Matthews, lendário ponta direita da seleção inglesa. O camisa 7 teve uma atuação magistral na vitória por 4 a 3 do Blackpool sobre o Bolton, que também contou com um hat-trick de Stan Mortensen. Na “Matthews Final”, o atacante deu passes para dois dos três gols marcados por seu time nos 20 minutos finais, possibilitando a virada incrível dos Tangerines.

1955/56 – O grande personagem do jogo foi Bert Trautmann, alemão que foi prisioneiro de guerra após a Segunda Guerra Mundial, antes de se tornar jogador do Manchester City. A 17 minutos do fim da decisão, o goleiro se chocou com um adversário e ficou inconsciente. Após o atendimento, Trautmann se manteve em campo e assegurou a vitória por 3 a 1 sobre o Birmingham. Exames posteriores mostraram que o alemão fraturou uma vértebra do pescoço.

1972/73 – O Sunderland foi uma das maiores zebras da FA Cup. Militando na segunda divisão inglesa, os Black Cats superaram o poderoso Leeds United, treinado por Don Revie.  A vitória por 1 a 0 foi garantida graças ao goleiro Jimmy Montgomery, que realizou na final aquela que é considerada uma das maiores defesas da história do futebol inglês [a partir de 1:30 no vídeo].

1979/80 – O West Ham foi o último time a conquistar a Copa da Inglaterra sem estar na primeira divisão do Campeonato Inglês. Os Hammers superaram o Arsenal, então atual vencedor da competição, na decisão. O gol da vitória por 1 a 0 foi anotado por Trevor Brooking, considerado uma das maiores lendas do clube.

1987/88 – Apelidado de “Crazy Gang” pelas maluquices de seus jogadores e pelo estilo violento de jogo, o Wimbledon surpreendeu o Liverpool na decisão. O maior momento da história dos Dons veio com o triunfo por 1 a 0 sobre os Reds, com o capitão Dave Beasant se eternizando como o primeiro goleiro a defender um pênalti em uma final de FA Cup.

1988/89 – Marcado pelo desastre de Hillsborough, ocorrido nas semifinais da Copa da Inglaterra, o Liverpool dedicou o título às 96 vítimas. Os Reds venceram o dérbi contra o Everton por 3 a 2 – depois de cederem o empate nos instantes finais do tempo regulamentar, asseguraram o título graças a dois gols de Ian Rush na prorrogação.

1989/90 – Aquele que é considerado como o título que salvou a pele de Sir Alex Ferguson no Manchester United. Depois de três temporadas em jejum no comando dos Red Devils, o escocês comemorou sua primeira taça apenas no replay da final com o Crystal Palace. Depois do empate por 3 a 3, o United venceu o reencontro por 1 a 0, gol de Lee Martin.

2011/12 – A última final da Copa da Inglaterra foi marcada pelos recordes do Chelsea, que derrotou o Liverpool por 2 a 1 na decisão. Ashley Cole se tornou o primeiro jogador a conquistar o torneio cinco vezes, Didier Drogba foi o primeiro a marcar gols em quatro finais e John Terry foi o primeiro capitão a levantar a taça quatro vezes pelo mesmo time.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo