Inglaterra

Contra a cultura do estupro, clube inglês ensinará aos seus jovens o que é sexo consensual

A última Pesquisa de Crimes Britânicos constatou que uma em cada 24 mulheres acima dos 16 anos sofrerão uma tentativa de agressão sexual durante a sua vida e muitas delas serão bem sucedidas. Falamos mais sobre isso no começo do ano, discutindo o caso de Chris Evans, ex-jogador do Sheffield Wednesday que deseja voltar ao futebol depois de ser condenado por esse tipo de crime. A única forma de solucionar ou ao menos minimizar essa forte cultura do estupro na Inglaterra é por meio da educação, e o Brighton and Hove Albion, clube da segunda divisão, está tentando fazer exatamente isso.

LEIA MAIS: Finalmente transformaram o machismo das arquibancadas em discussão

Se existe machismo na sociedade britânica, o futebol é um micro-cosmo no qual esse comportamento é ainda mais forte. Vira e mexe jogadores são envolvidos em casos espinhosos de sexos sem consentimento, geralmente envolvendo bebidas alcoólicas. Foi o que aconteceu em julho de 2011 com três jogadores e um ex-atleta do Brighton and Hove Albion. Anton Rodgers, filho de Brendan Rodgers, técnico do Liverpool, George Barker, Lewis Dunk e Steve Cook foram acusados de levar uma mulher bêbada para um quarto de hotel e praticar sexo com ela desacordada. A Justiça inocentou os quatro.

Havia uma foto que mostrava Barker escrevendo as letras GB na coxa da mulher, enquanto ela dormia, e a própria admitiu que mentiu para a polícia, mas os detalhes do caso cabem aos advogados e à Corte. O Brighton and Hove Albion decidiu tomar medidas preventivas para evitar que algo parecido ocorra novamente e começou a dar aulas sobre sexo consensual para todos os seus jogadores jovens, dos times masculinos e femininos.

O projeto chama-se Proteger, Informar e Prevenir. O objetivo principal é explicar quando, de acordo com a lei, houve consenso para a atividade sexual. Os jogadores vão ser aconselhados por um ex-detetive da polícia e um psicoterapeuta. Responderão perguntas e falarão, confidencialmente, sobre encontros e casos anteriores que tiveram.

O clube cumpre, pelo menos um pouco, a sua obrigação social de educar os seus jogadores, além de apenas trocar dinheiro pelas suas habilidades. Faria ainda melhor se ensinasse, junto com os meandros da legislação, como o machismo e a cultura do estupro são terríveis para as mulheres e para o país como um todo. Mas pelo menos já é um começo.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo