Inglaterra

André Villas-Boas revela seu desejo de virar piloto em rali

Um homem precisa ter pelo menos dois bons planos de vida. É natural crescer com uma ambição e outra opção profissional, só para evitar que fiquemos sem um norte. Aos 35 anos, a realidade de André-Villas Boas é a que muitos jovens treinadores sonharam.

Campeão da Liga Europa pelo Porto, contratado pelo Chelsea no ano seguinte e agora no comando do Tottenham, o português já tem uma boa ideia de ocupação daqui a cinco ou dez anos: vai ser piloto e competir pelo rali Dakar. E o pior é que isso não foi uma brincadeira por parte do treinador.

“Minha paixão pelo futebol me faz viver cada instante com muita intensidade. Em 11 meses por ano, penso que a vida permite que você faça e aproveite outras coisas. Para mim, há um limite, e nos próximos cinco ou dez anos, irei me aposentar como treinador. Competir no rali Dakar é uma ambição que tenho por toda a vida, é algo que sei que preciso fazer. Era uma paixão e se transformou em uma obrigação, um destino para a minha vida, porém só conseguirei fazê-lo quando deixar o futebol”, comentou em entrevista ao jornal português O Jogo.

Viver do esporte é algo simplesmente fantástico, não importa se você pratique, comande ou sequer escreva sobre. Villas-Boas não é o primeiro e nem será o último a abandonar a bola para se dedicar ao volante. Outro caso lembrado é o de Cláudio López, ex-atacante do Valencia e da Lazio que atualmente compete pelo campeonato argentino de rali.

A pergunta que se deve fazer nesse caso é: com quantos títulos Villas-Boas irá se despedir do esporte?

***

Atualização: o nosso colega do Tazio, Lucas Berredo, acrescentou alguns outros exemplos de jogadores que também tomaram o rumo do automobilismo. Jimmy Greaves, ex-atacante do Chelsea e da seleção inglesa campeã do mundo em 1966, disputou o “rali da Copa de 70”, de Londres até a Cidade do México. Fabien Barthez, goleiro francês que ainda causa pesadelos na torcida brasileira, hoje compete pela GT Series de Ferrari. O mais recente é Lukas Podolski, que ficou como navegador de Jari-Matti Latvala no Rali da Sardenha, durante a semana passada.

Mostrar mais

Felipe Portes

Felipe Portes é zagueiro ocasional, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo