No seu melhor jogo na Copa do Mundo, a Inglaterra venceu a Noruega por 3 a 0 para ser a primeira seleção na semifinal. As inglesas, uma das mais bem cotadas antes do torneio começar, fizeram um jogo de muita superioridade diante das norueguesas, campeãs em 1995. As inglesas, semifinalistas em 2015, garantiu ao menos igualar o mesmo resultado nesta edição. Aguarda o resultado de Estados Unidos e França, que jogam nesta sexta-feira.

Gol relâmpago

A Inglaterra conseguiu abrir o placar rapidamente. Logo a dois minutos de jogo, em uma bela jogada pela direita de Nikita Parris, ela foi até a linha de fundo, tocou para trás, Ellen White furou feio, mas Jill Scott estava atrás para finalizar bem no cantinho. A bola tocou na trave e entrou. Foi o gol mais rápido da Copa do Mundo até aqui.

Linha de passe

A Inglaterra chegou ao segundo gol em uma jogada que passou pela ótima lateral direita Lucy Bronze. Ela avançou pela direita e lançou Nikita Parris, que avançou até a linha de fundo e cruzou rasteiro para Ellen White. A artilheira só completou de primeira e marcou o seu quinto gol na Copa do Mundo, brigando pela chuteira de ouro do torneio – se igualou a Alex Morgan, dos Estados Unidos, e Samantha Kerr, da Austrália.

Jogada ensaiada

Logo no início do segundo tempo, a Inglaterra ampliou o placar. Aos 12 minutos, uma cobrança de falta ensaiada resultou em gol. Bethany Mead cobrou falta da direita para a entrada da área, rasteiro, onde Lucy Bronze estava posicionada e livre de marcação. Ela recebeu e chutou forte, de primeira, e marcou. Uma falha de marcação norueguesa, que deixou a lateral livre.

Chances da Noruega

A Noruega criou chances para chegar ao seu primeiro gol. Foram ao menos três boas chances para as norueguesas marcarem, sendo duas delas grandes defesas da goleira inglesa, Karen Bardsley.

Sem conseguir nem o primeiro gol, as coisas foram ficando mais difíceis, porque fisicamente a Noruega caiu muito. Depois de ter jogado prorrogação e pênaltis contra a Austrália, o time parece ter sentido, ainda mais precisando escalar uma montanha para voltar ao jogo.

Pênalti para a Inglaterra

Já no fim do jogo, a árbitra Lucila Venegas Montes marcou um pênalti bastante questionável. Ela viu uma falta de Thorisdottir sobre a zagueira Steph Houghton. Uma falta que, no replay, foi difícil encontrar. Nikita Parris pegou a bola e cobrou no canto, mas a goleira Ingrid Hjelmseth pulou e defendeu. Segundo pênalti perdido pela camisa 7 na Copa – já tinha perdido também contra a Argentina.

Próximo jogo

A semifinal com a Inglaterra será disputada no dia 2 de julho, terça-feira, em Lyon, que também será palco da final. As inglesas esperam a vencedora de Estados Unidos e França.

Ficha técnica

Noruega 0x3 Inglaterra

Local: Stade Océane, em Le Havre
Árbitra: Lucila Venegas Montes (México)
Gols: Jill Scott aos 3’/1T, Ellen White aos 40’/1T, Lucy Bronze aos 12’/2T (Inglaterra)
Cartões amarelos: Maria Thorisdottir (Noruega)

Noruega: Ingrid Hjelmseth; Ingrid Moe Wold (Synne Skinnes Hansen), Maren Mjelde, Maria Thorisdottir e Kristine Minde; Karina Saevik (Lisa-Maria Utland), Vilde Risa, Ingrid Syrstad Engen e Guru Reiten (Amalie Eikeland); Caroline Hansen; Isabel Herlovsen. Técnico: Martin Sjogren

Inglaterra: Karen Bardsley; Lucy Bronze, Stephanie Houghton, Millie Bright e Dami Stokes; Keira Walsh; Nikita Parris (Rachel Daly), Jill Scott, Francesca Kirby (Georgia Stanway) e Toni Duggan (Bethany Mead); Ellen White. Técnico: Phil Neville