O Valencia anunciou nesta segunda-feira (16) que nada menos do que 35% de seu elenco havia testado positivo para o Covid-19, doença respiratória causada pelo Coronavírus, cuja disseminação se transformou oficialmente em pandemia global na semana passada. Uma das vítimas nos Murciélagos é o defensor Eliaquim Mangala. O francês está isolado em casa e diz que até agora não apresentou sintomas, justamente o que torna o vírus tão perigoso e seu contágio tão fácil.

Em entrevista ao jornal L’Équipe, o zagueiro de 29 anos ressaltou diversas vezes que mesmo as pessoas que não correm perigo com o Coronavírus precisam tomar o máximo cuidado possível, já que representam um risco a grupos demográficos mais vulneráveis.

“Se existem casos como o meu, ou seja, de gente que é portadora do vírus e que não tem nenhum sintoma, isso significa que há outros. E quando vejo imagens de (gente em) restaurantes, parques, vejo que há um problema. As pessoas deveriam tomar consciência que, mesmo se você não está necessariamente em perigo, você pode ser um perigo aos outros. A seus pais, a seus avós. Ou mesmo aos mais jovens. Nem todo mundo tem a sorte de ter um sistema imune forte. Potencialmente, todos são um risco. Mesmo se você não tem sintomas, você pode ser um perigo, você é um perigo. Eu sou exemplo disso” alertou.

Para Mangala, as pessoas têm tido dificuldade de dimensionar o quão próximo delas o problema está – e esta sensação de distância estaria trazendo uma falsa segurança de que elas não podem ser acometidas pelo vírus: “Acredito que as pessoas não têm consciência disso. Desde que não aconteça contigo ou com alguém próximo, talvez você esteja levando isso com leveza, mas a realidade está aí. E a realidade é que isso não acontece só com os outros”.

Desde que foi diagnosticado, o zagueiro passou a viver confinado em sua casa. Para sua sorte, sua residência conta com dois andares. Desta forma, enquanto Mangala tem ocupado o de baixo, o restante de sua família tem habitado o de cima, todos isolados do restante da população.

“Tenho sorte, porque tenho uma casa em que minha família pode ficar isolada. (…) Nós evitamos o máximo nos cruzarmos.”

Acostumado à rotina de treinos e viagens com o clube, o zagueiro tem experimentado uma pausa diferente. “Durante meu dia, é simples: não há efeitos em mim, não tenho sintomas, então posso seguir me entretendo, fazendo musculação. Eles nos deram um programa (de treinamento). Com uma máscara, eu saio do meu jardim para continuar meu treinamento. Depois, assisto a documentários, séries, jogo videogame. Tem a Netflix, e eu também leio”, detalhou.

Como não apresentava sintomas, Mangala conta que inicialmente achou que o médico do clube estava brincando ao dizer que ele havia testado positivo para o Covid-19. A ficha caiu quando vieram as ordens: “Quando ele me falou das medidas de confinamento, do prazo de 14 dias, do fato que eu deveria me distanciar dos meus filhos, entendi que não era uma piada”.

Questionado pelo L’Équipe sobre qual é o seu lembrete para o restante das pessoas, o jogador afirmou: “Que o que acontece há várias semanas na Itália está chegando a nós. Não é uma piada. Não podemos ir para o parque como se nada estivesse acontecendo, não é assim que vamos parar a epidemia. A realidade é que a única solução é o confinamento”.

O Valencia não informou quais são todos os jogadores de seu plantel a terem testado positivo para o novo Coronavírus, mas, previamente, já havia reconhecido que Ezequiel Garay e José Gayà eram dois dos infectados.