O presidente da Fifa, Gianni Infantino, enviou uma carta aos seus membros e a partes envolvidas no futebol em que ressaltou a necessidade de seguir orientações da Organização Mundial de Saúde, em meio à pandemia do Coronavírus, causador da Covid-19. O dirigente falou sobre a capacidade do futebol de unir as pessoas e que é preciso manter o espírito de solidariedade e unidade quando for o momento de tratar da retomada dos campeonatos ao redor do mundo. A BBC teve acesso ao documento enviado e divulgou alguns trechos.

A maior parte dos campeonatos de futebol no mundo já foi suspenso, como mostramos no mapa interativo. Nesta terça-feira, a Uefa anunciou o adiamento da Eurocopa para 2021. A Conmebol foi na mesma linha e também adiou a Copa América para 2021. Todas as principais ligas estão com seus campeonatos suspensos, incluindo no Brasil, que tem diversos estaduais suspensos.

“Nós temos que fazer tudo no nosso poder para proteger os torcedores, jogadores, técnicos e todo mundo envolvido no nosso jogo bonito”, afirmou Infantino. “Ainda mais importante, as autoridades do futebol precisam tomar todas as medidas necessárias para prevenir que o vírus se espalhe para a comunidade em geral”.

“Em parceria com a Organização Mundial da Saúde, nós estamos lançando iniciativas de conscientização destinadas a fornecer recomendações práticas e medidas para combater a disseminação do Covid-19”, continuou o dirigente.

O presidente da Fifa elogiou a comunidade do futebol pela solidariedade demonstrada e a unidade que mostrou até aqui, mas alertou que isso tem que continuar “quando pensarmos sobre como iremos tratar as consequências que nós iremos enfrentar para o futuro do nosso esporte, uma vez que este risco sério à saúde humana esteja superado”.

Segundo o documento, a Fifa continuará mantendo contato com os órgãos relevantes e espera que oportunamente encontre soluções para uma situação descrita pelo dirigente chamado de período difícil.

“Saúde em primeiro lugar e a solidariedade do esporte devem ser os princípios chave que orientam a tomada de decisões neste momento importante e tenho certeza que toda a comunidade do futebol viverá de acordo com os grandes valores do nosso esporte”, diz ainda o dirigente na carta.

“O esporte em geral e o futebol em particular podem – e acredito que vão – ter um grande papel em ajudar o nosso mundo a se recuperar uma vez que tenham, esperamos que o quanto antes, retornado à normalidade”, continua o texto. “Circunstâncias desafiadoras oferecem a oportunidade para as pessoas se unirem, mostre o que nós podemos fazer em um espírito coletivo, e emergimos mais fortes e mais bem preparadas para o futuro. Sabemos que este é um desses momentos”.

A Fifa será inevitavelmente uma das afetadas pela pandemia do coronavírus. Com o adiamento da Eurocopa e da Copa América para 2021, o novo Mundial de Clubes, programado para a mesma época, terá que ser adiada. Ainda mais porque a sede seria a China, onde começou a epidemia do novo coronavírus. Ainda não se sabe como a Fifa irá lidar com isso.