Incapaz de chegar a um acordo pelo seu principal alvo na janela de transferências, Jadon Sancho, o Manchester United tomou uma rota alternativa ao anunciar a contratação de dois garotos de apenas 18 anos para a mesma posição. Facundo Pellistri, do Peñarol, e Amad Diallo Traoré, da Atalanta, acertaram com os Red Devils por um total de € 28,5 milhões, que podem chegar a € 49,5 milhões se somados os bônus envolvidos na negociação por Traoré.

A ponta direita tem sido uma posição carente do Manchester United há alguns anos. Desde a temporada passada, o garoto Mason Greenwood tem ocupado o posto em grande estilo, mas, centroavante de origem, a ideia é que a cria da base seja ao longo do tempo mais utilizada em sua posição de formação.

Jadon Sancho era visto como o nome perfeito para ocupar o posto, sendo inglês, um dos maiores jovens talentos do mundo e tendo bom relacionamento com alguns jogadores do United, como Marcus Rashford. No entanto, a pedida de € 120 milhões do Borussia Dortmund pelo atleta nunca foi atendida pelos Red Devils.

Na esperança de “fabricar” o seu próprio Sancho, o United virou sua atenção para dois talentos da mesma posição que vinha acompanhando já há algum tempo.

Os primeiros rumores de um interesse do Manchester United em Amad Diallo Traoré datam de nove meses atrás, mas até os últimos dias não havia novos capítulos indicando que este seria o caminho escolhido pelo clube. Traoré, inclusive, já tinha um acordo para se juntar ao Parma por empréstimo nesta temporada, mas o clube inglês entrou na jogada no fechamento da janela de transferências e garantiu sua contratação por € 20 milhões, que podem ser acrescidos por mais € 21 milhões em bônus, embora as condições não tenham sido reveladas.

Sem tempo suficiente para conseguir um visto de trabalho para o jovem marfinense, o United só terá Diallo Traoré a partir de janeiro. Até lá, o garoto permanece na Atalanta e torce por mais tempo em campo pela Dea.

Traoré estreou profissionalmente pelo time italiano na temporada passada, na goleada por 7 a 1 sobre a Udinese, em outubro de 2019. Entrou na partida como substituto, tendo apenas 13 minutos em campo, e deixou um gol, em um exemplo do tipo de lance que pode oferecer: cortando da direita para dentro e batendo com a perna esquerda, de fora da área, para vencer o goleiro argentino Juan Musso.

Ao todo, Traoré somou três aparições como profissional, em um total de apenas 24 minutos, o que torna incomum o valor gasto pelo Manchester United pelo jogador. Por outro lado, revela também o tipo de expectativa que existe sobre seu potencial. E, de fato, o marfinense é visto como um dos mais talentosos jogadores das fortes categorias de base da Dea.

Facundo Pellistri, por sua vez, tem um histórico maior como profissional. Mesmo com apenas 18 anos, já tem um ano como parte da equipe principal do Peñarol, estreando em agosto de 2019. Desde então, soma 37 jogos, dois gols e quatro assistências pelos uruguaios. A fase de grupos da atual Libertadores já serviu como boa mostra ao seu talento. Em seu país, é visto com empolgação e expectativa – e atraiu também o interesse de vários clubes grandes da Europa.

Por boa parte da janela de transferências, o Lyon parecia o destino mais provável ao jogador, que estava no radar também de Manchester City, Newcastle, Atlético de Madrid, Real Madrid e, claro, Manchester United. Na última semana, a imprensa francesa dava como quase concretizada a chegada do uruguaio ao OL. No entanto, o United agiu no fim desta janela para assegurar sua contratação por € 8,5 milhões, oferecendo ao Peñarol ainda 20% de uma futura venda.

Diferentemente de Traoré, Pellistri chega de imediato à Inglaterra e, segundo indicam diferentes veículos ingleses, deverá já integrar o time principal dos Red Devils. Habilidoso, veloz e capaz de dribles em espaços curtos, o uruguaio parece ter condições de brigar para tomar o lugar de Dan James na hierarquia da ponta direita, como substituto de Greenwood.

No entanto, vale apontar que Pellistri ainda parece um jogador cru – dono de um grande potencial, sim, mas claramente precisando refinar aspectos básicos do jogo como posicionamento, escolhas e passes e finalizações.

Em uma janela mais “normal”, tendo assegurado todos seus alvos principais, a chegada de dois garotos tão promissores quanto Diallo Traoré e Pellistri talvez fosse mais comemorada pelos torcedores do United do que tem sido. No entanto, a decepção pelo fracasso na busca por Sancho – e a maneira como isso aconteceu, com tanto desgaste em meio a atualizações constantes do status da negociação na imprensa – impede um olhar mais positivo sobre o recrutamento dos dois.

A curto prazo, o United não resolveu o seu problema na ponta direita e, pior, não reforçou setores que mais precisavam de jogadores em meio ao início terrível na temporada, mais especificamente a zaga e o meio de campo, que carece de uma opção melhor que Nemanja Matic na contenção.

A esperança do clube é que o tempo acabe mostrando que a diretoria esteve certa em sua estratégia. Apontando que seria irresponsável oferecer o que o Dortmund pedia por Sancho, a alta cúpula dos Red Devils joga suas fichas em dois garotos, esperando dar à luz o seu próprio projeto Sancho – os aurinegros, afinal, foram buscar o inglês na base do Manchester City e logo colheram os frutos da aposta. Uma jogada de alto risco e alta recompensa.