O nosso leitor Leonardo Rossatto imaginou como seria a Série B da Copa do Mundo, uma espécie de Liga Europa do torneio, com 32 seleções que não conseguiram classificação para vir ao Brasil.

O critério é (quase) totalmente objetivo: as quatro sul-americanas que restaram, 13 europeias (as quatro segundas colocadas que não vão para a Copa mais as nove terceiras colocadas), os cinco times eliminados na última fase das Eliminatórias Africanas, os cinco que sobraram da etapa final da Asiática, a vice da Oceania e os três melhores países da Concacaf que ficaram de fora.

Assim sendo, classificados para a segunda divisão mundial estariam Venezuela, Peru, Paraguai, Bolívia, Islândia, Romênia, Suécia, Dinamarca, Sérvia, República Tcheca, Áustria, Hungria, Eslovênia, Israel, Eslováquia, Montenegro, Finlândia, Egito, Burkina Faso, Etiópia, Senegal, Tunísia, Jordânia, Uzbequistão, Omã, Catar, Iraque, Panamá, Jamaica, Guatemala e Nova Zelândia.

Completa o grupo a Ucrânia, país sede por ser a seleção com a melhor classificação no ranking da Fifa que não conseguiu vaga para o Brasil. Recebeu a Eurocopa de 2012 e já conta com a estrutura necessária, embora um torneio fictício não exija muita coisa.

Curioso observar que times como a Noruega, Turquia, Polônia e Marrocos, por exemplo, ficariam de fora até da segunda divisão do Mundial.

O ranking de outubro definiu os cabeças de chave: Ucrânia, Suécia, Dinamarca, República Tcheca, Sérvia, Romênia, Eslovênia e Panamá. Quem foi campeão? Você nunca vai acertar, então entra lá no blog dele e descubra.