O atentado terrorista ao ônibus do Borussia Dortmund, nesta terça-feira, criou um clima de estarrecimento e incerteza no Signal Iduna Park. No entanto, também motivou a solidariedade entre aqueles que se uniram para enfrentar o medo. Adversários nas quartas de final da Liga dos Campeões, Dortmund e Monaco se tornaram irmãos ao longo da últimas horas. O clube alemão lançou uma campanha para que seus torcedores abrigassem os visitantes, dando abrigo à espera da partida adiada. Desde então, surgiram diversas imagens de fraternidade entre aurinegros e alvirrubros, convivendo em solidariedade.

VEJA TAMBÉM: Dortmund inicia campanha para oferecer acomodações aos visitantes do Monaco

Já nesta quarta, antes do pontapé inicial no Signal Iduna Park, outras tantas fotografias reconfortantes passaram as circular nas redes sociais. Em agradecimento e em apoio aos germânicos, alguns monegascos homenagearam Marc Bartra – único ferido no ataque e que se recupera após a bem-sucedida cirurgia no braço direito. Os visitantes passaram a carregar o nome do zagueiro em bandeiras e camisas, além de escreverem outras mensagens de agradecimento pela acolhida. Inclusive, um alvirrubro chegou ao ponto de estampar o nome e o número de Bartra nas costas de sua camisa do Monaco. Sinal maior de irmandade não há.

A realização do jogo vem sendo cercada por um forte aparato de segurança. Policiais tomaram as ruas de Dortmund, enquanto os torcedores não poderão entrar nem mesmo com mochilas no Signal Iduna Park. Nesta quarta, a Promotoria Geral da Alemanha trouxe nesta quarta novas informações sobre o atentado. As autoridades, enfim, passaram a admitir o ocorrido como um episódio de terrorismo. A polícia chegou aos dois primeiros suspeitos, ambos dentro do “espectro islâmico”, como classificou a promotoria em sua nota oficial, e realizou buscas em suas residências. Um deles permanece detido, acusado de ser membro do Daesh – também conhecido como ISIS.

“O pano de fundo do ataque é baseado nos fatos do crime. O motivo exato do ataque continua incerto. No local, três textos de mesmo caráter foram encontrados. Diante disso, a participação de grupos islâmicos parece possível. Entre outras coisas, a carta fala sobre a Síria e o fechamento da base aérea de Ramstein. No momento, isso está sendo investigado, especialmente por estudiosos islamistas. Dessa maneira, uma avaliação final ainda não é possível no momento”, aponta o comunicado oficial do organismo.