Outrora uma certeza inabalável da seleção alemã, Manuel Neuer tornou-se uma das principais incógnitas do técnico Joachim Löw. O goleiro do Bayern de Munique está afastado dos gramados desde setembro, por causa de uma fratura no pé, e ainda não tem data para retornar. Deve atuar em algumas partidas antes do fim da temporada para melhorar seu ritmo de jogo, mas não se sabe exatamente em qual forma física e técnica chegará à Copa do Mundo da Rússia.

LEIA MAIS: Stegen: “O risco de falhar faz parte da emoção, amo quando a torcida tenta me deixar inseguro”

O lado bom é que a Alemanha está muito bem servida de goleiros. Caso Neuer não esteja 100%, Löw pode apostar com segurança em Marc-André ter Stegen, do Barcelona, na opinião de Bodo Ilgner, campeão do mundo com os alemães em 1990. Para os amistosos contra Espanha e Brasil, Löw convocou também Bernd Leno, do Bayer Leverkusen, e Kevin Trapp, do Paris Saint-Germain.

São bons goleiros, mas Ter Stegen está inegavelmente no melhor momento, defendendo as metas da ótima temporada do Barcelona. Depois de um começo irregular na Catalunha, com alguns erros e revezando com Claudio Bravo, o alemão assumiu a titularidade com todos os méritos e se tornou um dos melhores jogadores da equipe. Para Ilgner, no nível de Lionel Messi.

“No Barcelona”, afirmou o ex-goleiro do Real Madrid à revista Kicker, “ele não é considerado menos importante para o time do que Lionel Messi. Se Manuel Neuer não estiver bem, o que ninguém espera que aconteça, a Alemanha não deveria ir para a Copa do Mundo menos otimista. O que falta para Ter Stegen ser uma reposição valiosa para Neuer? Nada. Löw pode confiar nele com segurança, dado o que o ex-jogador do Gladbach mostra no Barcelona”.

Bodo Illgner atuou nas sete partidas da campanha vitoriosa da Alemanha em 1990 quando ainda tinha 23 anos, e acredita que, como Beckenbauer fez com ele, Löw pode apostar em Ter Stegen, apesar da juventude do goleiro, de apenas 26 anos, idade relativamente baixa para um goleiro. Porque, em um Mundial, a parte física é a mais importante.

“Não é o bastante estar em 50% em um torneio desses porque você é um goleiro no nível mais alto o tempo inteiro e você tem que estar novo, e ele (Neuer) sabe disso também. Precisa estar completamente recuperado porque a Copa do Mundo não perdoa o menor déficit físico”, completou.