Jogar pelo time do coração é um privilégio, em um mundo que o futebol move a paixão de milhões. Ser jogador é algo que já é para poucos, mas jogar no clube pelo qual torcida quando criança é um privilégio ainda mais raro. Por isso, Odion Ighalo é um privilegiado. Aos 30 anos, ele sabe que a renovação do seu empréstimo ao Manchester United até 31 de janeiro de 2021, por causa da pandemia do coronavírus, permitirá que ele mostre trabalho para conquistar um lugar em definitivo no clube. Isso profissionalmente, porque pessoalmente será a chance de viver o sonho por mais algum tempo.

“Eu estou realmente feliz”, afirmou Ighalo ao site do Manchester United. “É um sonho para mim estar aqui. Estou vibrando e preparado. Eu me sinto bem. Os últimos dias foram difíceis porque houve diferentes conversas sobre isso [o fim do contrato de empréstimo], mas agora eu estou realmente feliz, então eu tenho que me concentrar totalmente. Estou aqui até o fim de janeiro, então está bom para mim”.

“Eu decidi que queria ficar e eu estou feliz. Desde o dia que eu cheguei, eu deixei claro que eu queria o que quer que fosse preciso para continuar esse trabalho. Foi muito difícil, houve algumas conversas, mas eu estou feliz que eles finalmente concordaram e conseguiram terminar tudo. Tudo é oficial agora”.

“Eu estou mandando obrigado ao presidente do Shanghai e ao diretor pelo apoio porque eles sabem que isso é o que eu quero. Então eu estou agradecendo a eles e eu estou feliz que isso aconteceu. Eles me desejaram todo o melhor também”, continuou Ighalo.

“Como eu disse, desde que eu era jovem eu torço por este clube e jogar por ele é um sonho. Agora que eu renovei o meu empréstimo, isso fica ainda mais claro e eu estou comprometido como sei, na minha cabeça, estou aqui até o final de janeiro. Eu quero apenas trabalhar duro e aproveitar, apoiar o time e fazer o que for preciso para nos fazer subir cada vez mais”, declarou o jogador.

Ighalo também foi perguntado sobre qual é a sensação de marcar um gol pelo clube do coração. “Vendo isso acontecer, é muito difícil para mim explicar os sentimentos internamente. Eu apenas quero dizer que é um grande momento que eu vou amar pelo resto da vida”, disse um emocionado Ighalo.

“Ver o clube de fora, Man United ou Manchester United e tudo isso, estar dentro, você sabe que você está em um dos maiores clubes do mundo. Tudo parece diferente de dentro”, continuou o jogador. “A forma como se preocupam com você, o modo como os funcionários trabalham aqui, tudo. Os rapazes jovens e o modo como trabalham; eles estão crescendo e amadurecendo para entrar no time”, disse.

“E, especialmente, a hospitalidade, pois garantem que tudo está 100% correto. Eles verificam você, mesmo se estiver em casa para ver se você está bem ou se precisa de alguma coisa”, continuou o nigeriano. “É diferente de onde eu vim e é diferente de onde eu estava antes. É algo que eu nunca vi antes e me faz pensar se eu estou sonhando ou se é realidade”.

“Mal posso esperar que a liga comece de novo”

“Eu estou ficando melhor a cada dia”, contou o jogador no site do clube. “Nós temos treinado juntos nas últimas duas semanas, então estamos ficando mais próximos do jogo. O ritmo está melhorando, a forma física está melhorando e está tudo indo bem”.

“Tem sido estranho, sabe, porque temos que ficar a dois metros para falar com os companheiros. Às vezes você precisa chegar mais perto para fazer algum sinal, mas agora a dois metros é um pouco estranho”, contou o jogador. “Mas isso é o que temos que fazer para ficarmos seguros e para que o jogo continue. Nós estamos prontos para fazer isso e felizes por fazer isso. Tudo está parecendo bom. Correndo, trabalhando duro e jogando futebol. Alguns dois contra dois e fazendo algum trabalho com bola”.

“Todo mundo está ficando cada vez melhor. Tudo mundo está de volta, até Paul [Pogba] está de volta treinando normalmente e Rashford está treinando também. Tudo mundo está treinando normalmente, treinamento completo e tudo isso, então o elenco está completo e todo mundo está pronto, eu acho”, afirmou ainda o atacante.

“Eu mal posso esperar para que a liga comece de novo. Eu estou realmente ansioso por isso. Nós mencionamos hoje que poderíamos ter 15 ou 16 jogos restantes até que a temporada termine e eu sei que todo mundo tem que estar pronto porque não importa quem comece o jogo, nós sabemos que todo mundo irá participar dos jogos. Então temos que estar preparados, fisicamente e mentalmente, porque todo mundo terá uma chance. Nós estamos trabalhando duro e eu acredito que iremos nos sair bem”, afirmou o jogador.

Os jogadores do Manchester United já viveram uma experiência nesta temporada que será repetida quando a bola voltar a rolar: jogar com os estádios vazios. Pela Liga Europa, os Red Devils venceram o Lask por 5 a 0 com as arquibancadas vazias.

“Foi estranho, sabe, mas foi okay”, afirmou o atacante. “Nós sabemos que não há nada que possamos fazer agora a não ser jogar com portões fechados e estamos felizes por poder jogar”, continuou. “No jogo contra o Lask, foi estranho porque você podia ouvir quando seus companheiros gritavam. Em um jogo normal, você não consegue ouvir, mas estava alto e claro. É um pouco estranho sem os torcedores, e difícil, mas nós temos que ficar seguros, então temos que fazer isso”.

Ighalo sabe que a sua permanência em Old Trafford depois do dia 31 de janeiro de 2021 é improvável, mas é possível. E para quem sequer imaginava jogar no clube do coração aos 30 anos, o que há para duvidar? Além do mais, o jogador tem mostrado um bom rendimento dentro do que se espera dele. Um centroavante competente, longe de ser craque, mas que pode fazer um bom papel no elenco.

Rashford e Anthony Martial são claramente mais talentosos, mas também são bem diferentes de Ighalo. O nigeriano é um jogador mais forte fisicamente, que usa bem o corpo e também sabe usar a sua presença dentro da área para finalizar. É um jogador que tem brio, tem técnica e era difícil de imaginar no Manchester United, mas talvez o clube precisasse de alguém como ele mais do que imaginava.

O futebol por vezes se tornou só um negócio e o questionamento de torcedores ao redor do mundo com a volta das ligas sem torcedores, que são a alma do jogo, coloca isso em perspectiva. Ighalo é um desses jogadores que faz essa conexão entre o sentimento dos torcedores e os jogadores em campo. Os jogos serão com portões fechados até o fim da temporada, mas não quer dizer que o Manchester United não terá nenhum torcedor. Terá um, pronto para dar a vida pelo clube e com a camisa 25 nas costas.