Ighalo critica governo nigeriano por reação a protestos: “Vocês são uma vergonha, estão matando seus próprios cidadãos”

O atacante nigeriano do Manchester United, Odion Ighalo, usou as redes sociais para fazer uma forte crítica à reação violenta do governo do seu país a protestos contra a brutalidade policial que estão sendo realizados desde o começo do mês de outubro.

O movimento se chama #EndSars – e não tem a ver com a doença respiratória. Sars é uma sigla em inglês do Esquadrão Especial Antirroubo da polícia nigeriana, acusado de uma série de crimes, entre corrupção e extorsão a tortura, sequestro e execuções.

A frequência dos crimes vem crescendo. Segundo a Anistia Internacional, houve 82 casos de tortura e execuções entre janeiro de 2017 e maio de 2020, alguns meses antes da eclosão dos protestos. A maioria das vítimas, de acordo com a Ponte Jornalismo, são homens pobres e de grupos vulneráveis entre 18 e 35 anos.

A Anistia Internacional calcula que pelo menos 12 pessoas foram mortas em Lagos, capital financeira da Nigéria. “Evidências reunidas por testemunhas, imagens e relatórios dos hospitais confirmaram que entre às 18h45 e 21h (horários locais) da terça-feira, 20 de outubro, o exército nigeriano abriu fogo contra milhares de pessoas que protestavam pacificamente por uma boa administração e pelo fim da brutalidade policial”, afirmou o órgão, em seu site.

“Abrir fogo contra manifestantes pacíficos é uma violação flagrante dos direitos das pessoas à vida, à dignidade, à liberdade de expressão e à reunião pacífica”, acrescentou o o diretor da Anistia Internacional na Nigéria, Osai Ojigho. “Os soldados claramente tinham apenas uma intenção: matar sem consequências”.

Ighalo usou sua plataforma como jogador de um dos maiores clubes do mundo para chamar atenção ao problema e pedir que líderes mundiais tomem providências.

“Eu não sou o tipo de cara que fala de política”, afirmou, em um vídeo publicado em seu Twitter. “Mas não posso mais ficar quieto sobre o que está acontecendo na Nigéria. Ao governo nigeriano: vocês são uma vergonha para o mundo por matar seus próprios cidadãos, por enviar o exército às ruas para matar manifestantes desarmados porque eles estão protestando pelos seus direitos. Foi gratuito”.

“Vocês serão lembradas pela história como o primeiro governo a enviar o exército a cidade para matar seus próprios cidadãos. Eu tenho vergonha deste governo. Estamos cansado de vocês e não toleraremos mais isso”.

“Peço que o governo britânico e os líderes mundiais que por favor vejam o que acontece na Nigéria. O governo está matando seus próprios cidadãos. Eu quero pedir que meus irmãos e irmãs em casa fiquem seguros. Fiquem em casa porque esse governo é assassino, e eles continuarão matando se o mundo não falar sobre isso”.

.

.