Maior ídolo de um país e hoje treinador da seleção nacional. Andriy Shevchenko se aposentou dos gramados jogando pela Ucrânia em última partida como profissional no dia 19 de junho de 2012, na derrota por 1 a 0 para a Inglaterra, na Eurocopa. Quatro anos depois do adeus do maior ídolo do futebol ucraniano, em julho de 2016, Shevchenko assumiu como técnico da seleção. Com uma carreira recente de treinador, o ex-jogador do Milan, Chelsea e Dynamo Kiev conta que se inspira em dois treinadores: Carlo Ancelotti e Valeriy Lobanovskyi.

“Carlo Ancelotti teve um grande impacto para mim. Eu ligo para ele até hoje para pedir conselhos. Ele é um treinador sábio e flexível”, afirmou Shevchenko em entrevista exclusiva à Trivela. “Eu trabalhei com ótimos mentores. Para mim, Valeriy Lobanovskyi sempre foi um professor e um segundo pai. Ele nos transformou em jogador de futebol.”

Lobanovskyi treinou a União Soviética e o Dynamo Kiev. No clube ucraniano, alcançou a semifinal da Champions League em 1999, com Shevchenko na equipe. Lobanovskyi, como técnico do Dynamo Kiev, revelou não só Andriy Shevchenko, mas também Igor Belanov [ganhador da Bola de Ouro em 1986] e Oleg Blokhin [venceu a Bola de Ouro em 1975], sendo o este o herói de Shevchenko na infância.

O ex-atacante comentou sobre as expectativas da Ucrânia para a Eurocopa, suas inspirações como treinador,

Trivela: Como você se sente em ser considerado o maior jogador do futebol ucraniano? Como você usa isso sendo o treinador da seleção nacional?

Andriy Shevchenko: Sempre foi uma grande honra representar o meu país e jogar na seleção. A Ucrânia se tornou o maior time da minha vida e agora continuo inserido na seleção sendo o técnico. Eu fico muito feliz em ser chamado de ídolo, mas o mais importante é que meu exemplo ajude a jovem geração de fazer as escolhas certas na vida. O futebol é um mundo incrível.

Quais são as metas e expectativas da Ucrânia para a Eurocopa de 2020? Quais seleções você considera as favoritas na competição?

Andriy Shevchenko: Há várias favoritas para a Euro e todas as seleções mais competitivas se classificaram para ao torneio. Mas o time que conseguir equilibrar as suas forças ao longo da Euro vai ganhar. A Ucrânia tem como meta ter uma performance de sucesso, já que nas outras duas edições, não avançamos da fase de grupos.

Você se inspira em quais treinadores?

Andriy Shevchenko: Eu trabalhei com ótimos mentores. Para mim, Valeriy Lobanovskyi sempre foi um professor e um segundo pai. Ele nos transformou em jogador de futebol. E Carlo Ancelotti teve um grande impacto para mim. Eu ligo para ele até hoje para pedir conselhos. Ele é um treinador sábio e flexível.

Quem era seu ídolo?

Andriy Shevchenko: O meu ídolo era Oleg Blokhin, que ganhou a Bola de Ouro com o Dynamo Kiev. O Dynamo era o meu time na infância e torcia para eles quando Oleg estava encerrando a carreira.

Você tem o desejo de treinar o Milan um dia? O Milan chegou a te contatar?

Andriy Shevchenko: Agora sou o treinador da Ucrânia e toda minha concentração está focada na seleção.