Ser ídolo é mais do que ser bom jogador em campo. É, muitas vezes, ter atitudes que façam de você um grande cara fora dele também. Diego Lugano já tem 35 anos e está longe dos seus melhores dias como zagueiro. Mesmo assim, consegue ser cada vez mais ídolo no time paraguaio. As atuações em campo têm ajudado, é verdade, mas vai muito além disso. Neste fim de ano, ele deu mais um exemplo: presenteou com uma bicicleta a cada um dos pequenos torcedores do Cerro Porteño que ele incentivou a voltarem à escola e passaram de ano.

LEIA TAMBÉM: Ídolo humilde: Lugano dá carona a torcedores do Cerro que voltavam do estádio a pé

Tudo começou em outubro, quando Lugano percebeu que cinco crianças iam todos os dias aos treinos do Cerro Porteño. Torcedores apaixonados, eles ficavam todos os dias esperando os jogadores na saída do treinamento. O uruguaio se aproximou dos cinco pequenos torcedores e disse: “Só mais um pouco e depois escola. Se quiserem, eu levo vocês”. Já imaginou uma criança ouvir isso de um jogador do próprio time?

O ex-capitão da seleção uruguaia, então, fez exatamente o que falou: depois de um tempo, pegou os dois garotos e os levou até a escola. Durante o trajeto, o jogador deu bons conselhos aos garotos e ressaltou a importância de frequentar as aulas diariamente na escola. E mais: prometeu recompensá-los se não faltassem mais às aulas para ier aos treinos. Um incentivo para que os garotos não ficassem faltando para ir aos treinamentos do clube e perdessem aulas.

Eis que na última semana, antes do Natal, os dois voltaram a aparecer nos treinamentos do Cerro Porteño. Um deles foi mostrar, orgulhoso, o boletim com suas notas, para demonstrar que passou de ano. Então, veio o surpreendente: o presente do zagueiro. Lugano deu uma bicicleta ao garoto como prêmio por ter voltado à escola e passado de ano. Mais do que a bicicleta, o pequeno torcedor do Cerro Porteño jamais esquecerá de Lugano e a lição que ele deixou.

Não foi a primeira vez que uma atitude de Lugano chamou a atenção. Antes, ele já tinha dado carona a torcedores que voltavam a pé de um jogo e ido para o treino de ônibus. Além disso, ele visitou comunidades indígenas paraguaias para dar presentes no dia das crianças. Uma atitude de um ídolo.

Um ídolo que pode estar deixando o Cerro Porteño, segundo muito se fala tanto na imprensa paraguaia quanto na brasileira. A torcida do São Paulo, que tanto pede pela volta de seu ídolo, parece que terá o seu pedido atendido pela diretoria, que trabalha para contratá-lo. Mas a sua saída, depois de um semestre no Cerro, já deixaria saudades nos torcedores. Mais do que o zagueiro, perderiam um ídolo. E talvez seja isso que faça com que ele seja também tão idolatrado no Morumbi.