Um dos maiores ídolos da história do Estudiantes, Juan Sebastián Verón, tornou-se o mais novo presidente do clube, vencendo quem ocupa atualmente o cargo, Enrique Lombardi. O agora ex-jogador defendeu o clube até o torneio final 2014 e acabou eleito presidente com 70% dos votos, segundo informou a AFA.

LEIA TAMBÉM: Nos 50 anos de Mafalda, 11 tirinhas de Quino sobre futebol

Cerca de 7 mil sócios votaram, de um total de 20.830 sócios habilitados a participar da eleição. Segundo informado pelo cite Canchallena, foi a eleição com maior participação dos sócios na história do clube. Uma outra figura história do futebol argentino, Carlos Bilardo, concorria como vice da chapa de Lombardi e acabou derrotado.

Aos 39 anos, entrou para a história como um dos maiores vencedores da história do clube, com os títulos da Primeira B Nacional (a segunda divisão) em 1995, e dois títulos da primeira divisão, em 2006 e 2010, além da Libertadores 2009, quando foi eleito o melhor jogador do torneio e o melhor em campo no segundo jogo da final contra o Cruzeiro, em Belo Horizonte. Pela seleção argentina, jogou as Copa sdo Mundo de 1998, 2002 e 2010 – em 2006 acabou ficando fora.

Um dos projetos em discussão para o novo presidente era a construção do novo estádio do clube, já em execução. O então candidato se manifestu na sexta-feira sobre o assunto e disse que procurará formas de conseguir levantar fundos que não dependam só dos torcedores.

“Sim, vamos seguir a obra, isso não está em discussão. O estádio vai muito além de poder jogar uma partida de futebol, é um tema muito mais integral, porque tem que ser um benefício para os sócios e para os esportes amadores. As pessoas fizeram um grande esforço com o plano de “Sócio León”, agora é o momento de impulsionar a sua concretização conseguindo capitais que queiram investir, sem ter que recorrer sempre ao bolso dos torcedores”, disse Verón.

Verón terá um grande desafio como presidente. Um dos mais importantes jogadores da história do River Plate, Daniel Passarella foi recentemente presidente dos Millonarios, mas não conseguiu ter muito sucesso. Verón, um ídolo não só pelo que fez em campo, mas pela sua postura fora dele, terá o desafio de ser um nome que leve o Estudiantes a melhorias.