Diante das necessidades e das emergências provocadas pela pandemia de coronavírus, diversos jogadores de futebol se mobilizam para organizar doações e outras maneiras de angariar fundos. Nesta semana, Zlatan Ibrahimovic foi mais um a aproveitar sua visibilidade para abraçar a causa e auxiliar na situação complicada vivida pela Itália. O centroavante criou um fundo para juntar €1 milhão aos hospitais locais e tirou os primeiros €100 mil de seu bolso.

“A Itália sempre me deu muito e, neste momento dramático, eu quero retribuir ainda mais a este país que amo. Decidi, junto com as pessoas que trabalham comigo, criar um financiamento coletivo para os hospitais Humanitas e usar meu poder de comunicação para espalhar a mensagem. É um assunto sério e precisamos de uma ajuda concreta, isso não é apenas um vídeo”, enfatizou Ibrahimovic, em mensagem publicada nas suas redes sociais.

“Conto com a generosidade dos meus colegas, de todos os atletas profissionais e daqueles que desejarem fazer pequenas ou grandes doações de acordo com suas possibilidades, para chutar o vírus longe. Juntos, podemos realmente ajudar hospitais, médicos e enfermeiros que trabalham sem egoísmo todos os dias para salvar nossas vidas. Porque hoje somos nós que torcemos por eles. Vamos dar um pontapé no coronavírus e vencer esta partida! E se lembrem: se o vírus não vai até Zlatan, Zlatan vai até o vírus”, complementou o veterano.

Na Itália, outra iniciativa parecida foi criada pelos veteranos que conquistaram a Copa do Mundo de 2006, formando também um fundo de financiamento coletivo. O dinheiro de Ibrahimovic será destinado diretamente a hospitais em operação nas cidades de Milão, Turim, Bérgamo e Castellanza. Em pouco mais de um dia, o financiamento coletivo superou €170 mil em doações. A iniciativa pode ser acessada por este link.