Zlatan Ibrahimovic voltou às manchetes nesta semana, depois que a Suécia eliminou a Itália na repescagem da Copa 2018, mesmo sem contar com ele. Aposentado da seleção desde o fim da Eurocopa 2016, há um clamor de uma parte dos torcedores e até de ex-jogadores por sua volta. Outros, porém, desconfiam que seria pior para o time.

LEIA TAMBÉM: Há exatos cinco anos, Ibra acertou sua acrobacia antológica contra a Inglaterra

Ibra prefere falar sobre a sua volta aos gramados e garante: voltará melhor do que antes. O atacante completou  36 anos no dia 23 de outubro. Ele se recupera de uma lesão do ligamento cruzado anterior, sofrida em abril. A previsão de volta é só no início de 2018, mas o jogador já está treinando com o resto do elenco do Manchester United.

“A primeira coisa que eu disse para mim mesmo foi que desistir não era uma alternativa. Cheguei tão longe e vou terminar nos meus termos, não nos de outra pessoa”, afirmou o centroavante sueco, em vídeo promocional da Volvo.

“Eu irei parar quando eu quiser, do modo como eu quiser. Desde então, eu estou em recuperação. Eu estou determinado a voltar melhor e mais forte que antes. Este é o meu objetivo e isso irá acontecer. Não há outras opções”, afirmou Ibrahimovic.

Na sua primeira temporada pelo Manchester United, foram 28 gols marcados. Ele quer continuar essa história. Quando renovou o contrato com o clube, ele mudou o número da camisa. Na sua primeira temporada, vestia a camisa 9. A 10 era de Wayne Rooney, capitão do time, que se tornou reserva.

Nesta temporada, a camisa 9 ficou com Romelu Lukaku. O belga, contratado por € 80 milhões, pediu para Ibra se poderia vestir o número. O sueco autorizou, já sabendo que renovaria o contrato. E ele queria um novo número: o 10, que lhe foi dado. E ele explicou a sua preferência pela icônica camisa 10.

“Para mim, o camisa 10 é a estrela. Aquele que faz a diferença, é notado, ganha partidas e é o líder. E eu me vejo nessa posição. Mas isso não é algo que é dado para você, é algo que você é. É assim que as coisas são”.

“Para ser honesto, é como um gatilho para mim voltar daquela lesão. Porque eu usava a camisa 10 na seleção da Suécia e no PSG. Eu ia vestir na Inter, mas logo eu me transferi para o Barcelona. Eu queria usar no Milan, mas peguei outra camisa por respeito. No Ajax, eu não usei. Eu me sinto como um 10 e eu represento um número 10. Eu vou entrar na história como se tivesse sempre usado a camisa 10”.

Muita gente se pergunta se ele irá voltar a vestir a camisa 10 da Suécia. Atualmente, o número é usado pela nova estrela do futebol sueco: Emil Forsberg, 26 anos, meia do RB Leipzig. O que se sabe é que ele vestirá a camisa 10 do Manchester United.

O motivo de falar sobre a camisa 10 é uma campanha da própria Volvo. A campanha é de cunho social e tem por objetivo ajudar quem luta por igualdade de gênero, diversidade e inovação no futebol sueco. O prêmio, dado na festa de gala do futebol sueco, no próximo dia 20, dá ao vencedor com 1 milhão de coroas suecas (cerca de US$ 120 mil) para projetos que possam contribuir para o desenvolvimento do futebol sueco.


Os comentários estão desativados.