De um lado do ringue, Sandro Sotilli, 40 anos, 110 gols na primeira divisão do Campeonato Gaúcho e campeão de 1998 pelo Juventude. No outro, pesando 99 quilos, está Jardel, cabeceador implacável de Grêmio, Porto e Sporting, membro do melhor time da Copa Libertadores de 1995. Esse duelo poderia muito bem ter decidido algum Gauchão na década de 1990, mas será realizado no próximo domingo, pelo Campeonato Municipal de Ibirubá, cidadezinha a cerca de 300 quilômetros de Porto Alegre.

Depois de jogar no Piauí, no Amazonas e até na Bulgária, Jardel, também com 40 anos, foi parar no futebol amador do Rio Grande do Sul. Estreou no sábado passado pelo Associação Atlética Vila Nova e deu um passe de cabeça – claro – para um dos gols da vitória por 3 a 2 sobre o Bangu. Quem serviu de intermediário entre o clube e o atacante foi Danrlei, ex-goleiro do Grêmio e hoje deputado federal.

“Ele me pediu para reforçar esse time e eu aceitei”, contou Jardel à Trivela. “Estava fazendo alguns eventos para o consulado gremista”. E foi justamente por meio do consulado gremista e pelo assessor de Danrlei em Ibirubá que o presidente do Vila Nova, Altair Almeida, conseguiu o contato do jogador, depois de despretensiosamente mencioná-lo em uma brincadeira.

“Foi uma brincadeira, não tenho por que esconder. Temos a condição de pegar cinco atletas de fora, tínhamos conseguido quatro e em uma brincadeira surgiu o nome do Jardel”, explicou. “O acordo foi bem fácil porque ele já conhecia o Clóvis (assessor do Danrlei). Ele ficou muito feliz com o convite e não pensou duas vezes. Tínhamos a ideia de trazê-lo para um ou dois jogos no máximo, mas ele se prontificou para todos”.

Jardel não ganha nada para jogar pelo Vila Nova. Faz isso “por amizade” e porque considera o futebol uma espécie de terapia. Em 2008, em entrevista ao Esporte Espetacular, da Rede Globo, admitiu que era usuário de cocaína. Ganha apenas uma ajuda de custo e compensa com exposição, experiência e motivação, além da qualidade técnica.

“Eu fiquei meio preocupado, por tudo que ele conquistou e significa. Esperava que não haveria muita conversa, mas o cara é fantástico. Não tem frescura. Está na cidade desde sexta, andando na rua. Ele é como um de nós. A cidade o acolheu. O pessoal está se dedicando mais no treino, aumentou a motivação”, comemorou Almeida, torcedor do Grêmio, que também jogava pelo Vila Nova até o ano passado, antes de assumir a presidência.

Em Ibirubá, Jardel vai treinar duas vezes por semana e pretende emagrecer mais uns sete ou oito quilos para quem sabe disputar o Gauchão do ano que vem. Sotilli também pretende jogar o estadual de 2014 e depois se aposentar. Filiado ao PSB, tem planos de ser deputado estadual. Ele já atuou por mais de 36 clubes e é o maior artilheiro da elite do Campeonato Gaúcho. Em 2013, participou da terceira divisão pelo Marau antes de acertar com o Revelação, atual campeão do Municipal de Ibirubá. “Eu não o conheço, só pelo nome, mas vai ser bom conhecê-lo”, disse Jardel.

O comércio não abre de final de semana em Ibirubá. Poucas pessoas trabalham aos sábados e aos domingos. A cidade inteira deve lotar mais uma vez – que nem na estreia de Jardel – o estádio Carlos Jacó Simon para ver o confronto entre um dos melhores cabeceadores do futebol, com passagem pela seleção brasileira, e um dos atacantes mais prolíficos do futebol gaúcho.