A disputa pelo título da Premier League parece só mesmo uma possibilidade matemática, algo que o próprio técnico Pep Guardiola, do Manchester City, admitiu. O Liverpool está 22 pontos à frente na classificação, com uma liderança folgada e só dois pontos desperdiçados até aqui em um empate com o Manchester United e vitórias em todos os outros jogos. Até por isso, resta olhar para as outras competições: as Copas e a Champions League. E, para Ian Wright, ex-atacante da seleção inglesa, é justamente o torneio europeu que será usado como parâmetro para medir o sucesso desta temporada do City.

“Eles estão muito longe. Eles são imparáveis, muitos pontos. Nós perdemos pontos em jogos que nós jogamos de forma bem similar ao que fizemos hoje [contra o Tottenham, no domingo], mesmo quando jogamos em Anfield. E é claro que nosso objetivo é mirar as competições e classificar para a Champions League na próxima temporada”, afirmou Guardiola na coletiva de imprensa depois do jogo.

“Você sente que se eles não vencerem a Champions League, então não será uma boa temporada”, afirmou Wright, em entrevista à BBC Radio 5 Live. “Mas se eles vencerem, será uma grande temporada. Eu começaria a poupar os jogadores para isso, porque é o que o City precisa começar a focar”.

“Com o time que ele montou, nós pensamos que aconteceria na sua gestão”, continuou Wright. “Ele está há três anos no time que jogou com alta intensidade e o City não foi capaz de acompanhar o time do Liverpool que se destacou”.

“Nós estamos sendo um pouco duros com o City porque o Liverpool se distanciando”, continuou. “O City teve muitos problemas de lesão, com Leroy Sané sendo uma grande perde também – Eu sei que não há muita simpatia por eles [City], mas o elenco tem que jogar por alta intensidade por alguns anos com o que o técnico quer”, seguiu Wright.

“A ascensão do Liverpool os colocou sob pressão porque está os testando, mas eu não acho que Guardiola subestimou o Liverpool. Ele talvez não substituiu [Vincent] Kompany porque ele tinha [Aymeric] Laporte, mas então ele se machucou cedo e isso foi pelos ares. Nicolás Otamendi e [John] Stones não tem sido bons o suficiente, e chegamos ao estágio que é preciso de renovação no setor”.

Um dos pontos que chama a atenção é que o Manchester City teve dois jogos consecutivos sem marcar gols, algo inédito desde que Guardiola chegou ao clube. “Por mais que você precise dar crédito ao Tottenham, o City teve grandes chances. Nós não estamos falando de um time do City sem criar chances, nós estamos falando sobre o time do City que não está aproveitando as chances”, afirmou o ex-atacante.

“Não tem sido uma boa defesa de título, mas Guardiola não está envergonhado, ele simplesmente não está acostumado a perder desta maneira. Você pode ver na cara dele, ele está pensando: ‘Isto não deveria estar acontecendo’”.

Antes do jogo contra o Tottenham, o próprio Guardiola disse que ele sabe que será julgado pelo que conseguir na Champions League. “A última temporada foi extraordinária para nós, mas as pessoas dizem: ‘Mas vocês não ganharam a Champions League’. É por isso que eu vou ser julgado, se nós não vencermos ao final do meu período aqui, eu serei um fracasso aqui. Eu sei disso”, afirmou o técnico do City na última sexta-feira.