Simon Brodkin precisou de menos de um minuto para ganhar fama ao redor do mundo. Mais importante, para criar uma imagem à posteridade. O humorista britânico teve coragem de invadir a sede da Fifa e interromper a coletiva de imprensa de Joseph Blatter cheio de notas nas mãos. Criou uma chuva de dinheiro que constrangeu o cartola, além de gerar ótimas fotos. Passou uma mensagem fortíssima sobre a corrupção na entidade que organiza o futebol mundial, admitida de uma forma geral, mas que todos os dirigentes negam participação direta.

VEJA TAMBÉM: A única surpresa no pronunciamento de Blatter é ele não pegar o dinheiro

Após causar rebuliço, Brodkin teve que lidar com as autoridades suíças, bem mais sérias do que a Fifa. O comediante passou algumas horas preso no país e acabou indiciado por invasão de propriedade, antes de ganhar a permissão para voltar ao seu país. O que ele leva com bastante bom humor, apesar da consciência sobre os seus atos.

“Isso é, infelizmente, muito sério. Estou preocupado? Eu sei que estou sendo indiciado e não sei se posso dizer o quanto. O que eu posso dizer é que seria a maior ironia de tudo se eu fosse a primeira pessoa a ser condenada sobre os eventos que aconteceram na sede da Fifa”, declarou o humorista, em entrevista ao jornal britânico The Telegraph. Brodkin preferiu ainda não dar detalhes sobre como invadiu o prédio, porque “isso poderia deixá-lo um pouco mais de confusão”.

blatter

Mais surpreendente ainda é o fato de que o dinheiro que Brodkin usou na pegadinha era mesmo real. Ao todo, $ 600 que Blatter recusou e voltaram integralmente aos bolsos do britânico: “Para mim, faz parte disso. Se você está indo para fazer, faça corretamente. Os caras da Fifa nem podiam acreditar. No final, isso não me custou nada, porque eles me devolveram tudo. Posso assegurar a você que houve corrupção na Fifa, mas a polícia suíça é livre de corrupção. Eles me deram cada centavo de volta. ‘Está aqui, senhor’”.

VEJA TAMBÉM: Humorista que jogou dinheiro a Blatter já tinha invadido outros eventos no futebol

“Você podia perceber até mesmo que os seguranças da Fifa estavam rindo e fazendo piadas sobre aquilo. Sepp não. Depois de ser preso e ficar em uma cela por horas, a polícia suíça me mostrou o vídeo do que eu fiz, publicado em um grande jornal. Acho que eles se entusiasmaram. Espero que as outras coisas que faço também entusiasmam. Não estava lá para dizer a Blatter: ‘Seu gordo, corrupto’. Não faço isso. Bem, eu não chamo de gordo”, completa Brodkin.

Já famoso no Reino Unido por causa de suas participações em programas de humor, Brodkin já tinha aprontado outras vezes no meio do futebol. Em 2013, invadiu o gramado do Goodison Park para aquecer como se fosse jogador do Manchester City – o que também lhe rendeu um processo. No ano passado, também tentou se infiltrar no embarque da seleção inglesa rumo à preparação para a Copa do Mundo.

“Acontece naturalmente. Olhando para trás, talvez eu sempre tenha feito coisas parecidas na faculdade”, afirma Brodkin. “Acima de tudo, eu tento ser engraçado. Acho que olhei para o interesse do público ao trazer este assunto mais perto dele. Acho que a Fifa e Sepp Blatter estão neste patamar”. E certamente muita gente se satisfez com a zoeira do britânico.