Cardiff City e Wolverhampton conquistaram o acesso direto na Championship passada, mas vivem realidades bastante distintas na Premier League. Os Lobos começaram muito bem e até rondaram a zona de classificação à Liga Europa. Já os Pássaros Azuis apanharam bastante, se colocando rapidamente como candidatos ao rebaixamento. Nas últimas seis rodadas, porém, as situações se inverteram. Enquanto o Wolverhampton vinha de cinco rodadas sem vitória, o Cardiff ganhou suas duas primeiras no mesmo intervalo. E o duelo desta sexta-feira ratificou esta transformação. Diante de sua torcida, os galeses arrancaram a vitória por 2 a 1, de virada. Afundam um pouco mais os oponentes, enquanto fogem da zona de rebaixamento.

O Wolverhampton parecia pronto a se recuperar, terminando o primeiro tempo em vantagem. Matt Doherty abriu o placar aos 18 minutos, aproveitando um rebote. O Cardiff City, no entanto, acertou uma bola na trave pouco antes do intervalo e fazia uma grande partida para as suas limitações. O prêmio veio no segundo tempo. Em sobra de bola na área, Aron Gunnarsson emendou uma acrobacia para empatar aos 20. E o gol que valeu o triunfo, 12 minutos depois, foi uma completa pintura. Junior Hoilett não estava em uma posição favorável, no bico da grande área. Ainda assim, arriscou o chute cruzado, de primeira, e mandou a bola sinuosa na gaveta de Rui Patrício. Pintura valiosíssima.

O triunfo deixa o Cardiff com 11 pontos, provisoriamente no 15° lugar. Ainda pode voltar ao Z-3 na rodada, mas o alívio é grande. Já o Wolverhampton empaca com 16 pontos, em 11°, mas somente o Brighton pode ultrapassá-lo. As pretensões grandiosas do início da campanha ficam para trás.