Um dos técnicos com mais experiência no mundo em termos de futebol de seleções, Guus Hiddink aceitou um desafio para lá de alternativo: será o técnico da seleção de Curaçao, no Caribe. Aos 73 anos, o experiente treinado, ex-seleções dos Países Baixos, Coreia do Sul e Austrália, abraçou o desafio de tentar levar o país à Copa do Mundo de 2022, no Catar.

O último trabalho de Hiddink foi na seleção olímpica da China, que assumiu em 2018. Depois de uma péssima campanha no torneio pré-olímpico, foi demitido em setembro de 2019 e estava sem trabalhar desde então. Alguns cogitavam que o treinador iria se aposentar.

A principal intenção da contratação é que Hiddink irá profissionalizar a organização. O neerlandês terá Hewiges Maduro como seu assistente, que também exercerá a função de conselheiro da Federação de Futebol de Curaçao.

“Pode não ser óbvio, mas é difícil dizer não. Curaçao fez um bom progresso nos últimos anos e eu gostaria de ajudar os jogadores e funcionários a dar um passo mais alto na escada internacional”, afirmou o treinador em entrevista ao Fox Sports. “Eu revisei uma lista de jogadores com os treinadores e Maduro. Nós iremos abordar todo mundo que nós acharmos que tem qualidade”.

Há alguns jogadores que têm vínculo com o país e que podem ser convocados, como Tahith Chong, do Manchester United, Quinten e Jurriën Timer e Sontje Hansen, os três do Ajax. Todos são elegíveis para a seleção dos Países Baixos, já que Curaçao é considerado território holandês. “Você sempre quer jogar pela seleção. Eles também têm passaporte neerlandês, então podem escolher Países Baixos. Mas se não houver uma perspectiva lá para dar o passo, ou ajudar em uma Copa do Mundo, então você pode fazer uma escolha diferente”, afirmou Hiddink, deixando claro que tentará persuadir os jogadores elegíveis para jogar pelo país caribenho.

Se o caminho não for a seleção neerlandesa, Curaçao pode ser um caminho para ser a “próxima melhor opção”, segundo Hiddink. Por isso, o técnico espera usar o seu conhecimento de futebol holandês e a sua experiência como técnico de seleções para convencer jogadores a optarem por esse caminho. “Eventualmente, eles têm que fazer uma escolha”, declarou o técnico.

Em 2019, a seleção de Curaçao surpreendeu na Copa Ouro e chegou às quartas de final, quando perdeu para os Estados Unidos, que jogava em casa. Foi a primeira vez que a seleção do país chegou a esta fase, depois de superar a fase de grupos e deixar para trás El Salvador e Honduras, duas seleções mais tradicionais da região.

Curaçao está no Grupo C das Eliminatórias da Copa, que começam no dia 7 de outubro. O time disputa uma vaga na segunda fase contra Guatemala, São Vicente e Granadinas, Cuba e Ilhas Virgens Britânicas. Só o primeiro colocado do grupo avança. Os seis campeões de grupos jogam um duelo eliminatório em ida e volta e os vencedores jogam a terceira fase. Só aí serão definidos os classificados à Copa 2022, quando entram as potências do continente e times melhores classificados no ranking da Fifa: México, Estados Unidos, Costa Rica, Honduras e Jamaica.