Em 2016, o Hibernian voltou a experimentar uma alegria que por mais de um século lhe foi alheia. O clube de Edimburgo conquistara o Campeonato Escocês e a Copa da Liga nas décadas passadas, mas a Copa da Escócia insistia em escapar de suas mãos. Desde a conquista anterior, em 1902, os Hibs perderam 10 finais. Até que, enfim, recuperaram a taça na última edição da competição. Um grande orgulho, em euforia completada de vez neste final de semana. Afinal, os alviverdes retornaram à elite do campeonato escocês, após três temporadas militando na segunda divisão.

VEJA TAMBÉM: Sam Martinez cumpriu seu sonho e, aos 106 anos, se despediu do Hibernian com digno tributo

O acesso do Hibernian na Championship sempre pareceu questão de tempo. O problema era a concorrência pela frente, em anos de clubes tradicionais tentando se reerguer e buscando a única vaga direta à primeira divisão. Em 2014/15, a glória ficou com o rival Hearts; já na última temporada, a primazia foi do Rangers. Os alviverdes caíram em ambos os anos nos playoffs de acesso. Ao menos, tiveram um alento na Copa da Escócia, em feito que suplantou qualquer desânimo em relação à segundona. Se o time conseguira ser copeiro o suficiente contra os melhores do país, a redenção à elite não tardaria a vir.

E veio nesta temporada, sem qualquer sombra a questionamentos. O Hibernian dominou a segunda divisão escocesa, com apenas três derrotas nas 33 partidas disputadas até o momento. Caminhando a passos largos, a equipe se manteve na liderança por 26 rodadas. Até que a confirmação acontecesse no último domingo, dentro de Easter Road. Por 3 a 0, os Hibs venceram o Queen of the South e deram motivos para a comemoração de sua apaixonada torcida. Os líderes abriram 11 pontos de vantagem no topo da tabela. Falkirk e Dundee United já estão confirmados nos playoffs de acesso, enquanto o Greenrock Morton deve completar o grupo.

O responsável por levar o Hibernian de volta à primeira divisão, aliás, é um velho conhecido do futebol escocês. Multicampeão como jogador e como treinador do Celtic, Neil Lennon chegou no início da atual temporada, substituindo Alan Stubbs. Logo cumpriu a missão para a qual foi contratado. Uma ascensão com o clube que também serve para a própria carreira, depois da malfadada passagem pelo Bolton. Já em campo, o grande destaque é o atacante Jason Cummings. Formado na própria base, o jovem de 21 anos anotou 17 gols na Championship. Quase sempre forma parceria com o inglês Grant Holt, nome mais tarimbado do elenco.

E a sede de conquistas do Hibernian não se encerra na segunda divisão. Se não existe limites para o sonho, a equipe ainda busca o bicampeonato da Copa da Escócia. No próximo sábado, os alviverdes encaram nas semifinais o Aberdeen, rumo ao terceiro vice consecutivo no Campeonato Escocês. Caso avance à final, o clube de Edimburgo pega Celtic ou Rangers. Desafios consideráveis, mas que nem assim impõem limites a uma equipe que vive o melhor momento de sua história recente, pronta para se reafirmar na elite nacional.